Qsymia: remédio para emagrecer

Desde que esse blog foi criado, ainda sob supervisão do antigo proprietário, alertamos sobre o uso indiscriminado de remédios para emagrecer pela população. Contudo, isso não significa que a existência de novas drogas devam ser ignoradas.

Por isso, falaremos de uma das mais novas medicações que prometem eliminar a fome e, consequentemente, o peso. Seu nome comercial é Qsymia; ele foi liberado para comercialização nos EUA pelo FDA (Food and Drug Administration) no final de 2012.

20130708 qsymia 300x220 Qsymia: remédio para emagrecer

O que é Qsymia?

Desenvolvido pelo laboratório Vivus, o Qsymia (não me pergunte como se pronuncia isso) é a combinação de duas drogas que já existiam:

  • Fentermina – substância derivada da anfetamina com efeitos anorexígenos (supressores do apetite). Ela teve sua fabricação, venda e prescrição proibidas pela ANVISA.
  • Topiramato – anticonvulsivo usado no tratamento de enxaquecas graves, crises epiléticas e convulsões diversas. Um dos efeitos colaterais do remédio é a perda de apetite.

A combinação dos dois princípios ativos deu origem ao Qsymia.

Mecanismo de ação do Qsymia

O Qsymia age sobre os neurotransmissores responsáveis pelas principais sensações envolvidas na obesidade: a ansiedade e a fome. São eles:

  • Serotonina, que age sobre o humor e o desejo.
  • Dopamina, que influencia a memória e o sono.
  • Norepinefrina, que age sobre a ansiedade.

Basicamente, o Qsymia tem o mesmo efeito dos chamados inibidores seletivos de receptação de serotonina, medicamentos que combatem a depressão, mas seu foco principal é na inibição da fome que leva à eliminação do peso.

 Qsymia: remédio para emagrecer

Indicações e contraindicações

Qsymia só pode ser vendido sob prescrição médica e é indicado para pacientes que possuem um perfil específico.

  • IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30.
  • Histórico de diabetes e hipertensão.
  • Insucesso das dietas restritivas aliadas a exercícios físicos.

O remédio não deve ser prescrito a gestantes pois a combinação dos dois princípios ativos do Qsymia pode causar má formação fetal, principalmente casos de lábio leporino.

Entre os efeitos colaterais encontrados, a maioria deles provêm do anorexígeno fentermina. Acompanhe:

  • Irritabilidade.
  • Taquicardia.
  • Boca seca.
  • Insônia.
  • Formigamento nos dedos.
  • Perda de memória.

Embora raros, casos de euforia extrema, ataques de pânico, depressão profunda com tendências suicidas e problemas na visão foram relatados pelo FDA.

Eficácia do Qsymia

O laboratório fez as habituais pesquisas duplo-cego: durante 12 meses, 3700 pessoas com diferentes níveis de obesidade foram submetidas a um estudo onde metade deles recebeu o remédio em doses altas e a outra parte tomava placebo (pílulas sem princípios ativos, a famosa “pílula de farinha”).

Passado o ano de observações, verificou-se que o grupo que tomou Qsymia conseguiu perder de 6 a 8 por cento do peso mais do que o grupo que tomava placebo. Como os níveis de perda de peso estavam dentro dos limites de segurança preconizados por nutricionistas, os resultados foram considerados promissores.

Qsymia no Brasil

O medicamento ainda não está a venda no Brasil, aguardando apenas o sinal verde da ANVISA para ser legalmente comercializado. De qualquer maneira, os alertas de sempre precisam ser dados.

Nenhum remédio é milagroso. Além do uso do fármaco, é preciso mudar hábitos alimentares e pessoais, incluindo a eliminação do sedentarismo.

Os efeitos colaterais precisam ser levados a sério. Toda e qualquer mudança no corpo, por menor que ela pareça, deve ser relatada ao médico.

Somente um médico pode receitar medicamentos que mexam com neurotransmissores. O que funciona para uma amiga pode ser fatal para outra pessoa.

Tenha paciência e aguarde o OK da ANVISA antes de procurar seu médico.

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *