A dieta das 8 horas

Existem dietas que prometem emagrecimento sem privações no cardápio. Entre as várias que pregam o “coma o que quiser e emagreça”, chega mais uma: a dieta das 8 horas.

18 de junho de 2014 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


Nunca duvide da capacidade que o ser humano tem em criar dietas. Quando o ser humano é estadunidense, espere por dietas que usam pesquisas universitárias incipientes e a extrapolam para uso na vida real. Foi o que David Zinczenko, editor-chefe da famosa revista Men’s Health, e Peter Moore fizeram ao criar a dieta das 8 horas.

content_18587


A origem da dieta das 8 horas

Um estudo que foi publicado no respeitado American Journal of  Clinical Nutrition em 2007 colocou em xeque a divisão das refeições diárias em seis.

Segundo a pesquisa, quem manteve o tradicional esquema “café da manhã-almoço-jantar” emagrecia mais rápido do que que consumia a mesma quantidade de calorias dividida em seis porções diárias.

A explicação simplificada é que o curto período entre as refeições torna o metabolismo preguiçoso, queimando calorias de forma mais lenta. O jejum entre as três refeições tradicionais faz com que a queima calórica seja mais eficiente, segundo as conclusões do estudo.


Os princípios da dieta das 8 horas

Usando claramente como base as pesquisas acima mencionadas, Zinczenko e Moore lançaram no final do ano passado o livro The 8-Hour Diet: Watch The Pounds Disappear  Whitout Watchiong What You Eat. A proposta é simples e tentadora: comer todos os nutrientes sem restrições, desde que entre 9 da manhã e 5 da tarde.

Segundo o livro, ainda sem tradução para o Português e sem previsão de lançamento aqui, o metabolismo humano não consegue absorver o que come depois do início do anoitecer. O ritmo circadiano do corpo precisa de um período de descanso para absorver as calorias consumidas durante o dia sem acumulá-las em forma de gordura.

Por isso, a pessoa deve concentrar o que come durante o “horário do expediente”. O jejum entre o fim do dia anterior e o início do dia seguinte seria o que faz o metabolismo trabalhar com mais afinco, queimando as calorias consumidas de forma mais eficaz.

carregando…


Mecanismo da dieta das 8 horas

Durante o “expediente” do metabolismo, pode-se comer de tudo, desde que com parcimônia. Nada, absolutamente nada, é proibido, desde que dentro de porções aceitáveis e que exista uma rotina de atividades físicas.

O grande pulo do gato da dieta das 8 horas é o período de jejum entre a noite do dia anterior e a manhã do dia seguinte. Sempre segundo os autores do livro, o gasto calórico noturno é maior e isso ajuda na prevenção de diversos males ligados à obesidade, como:

  • Diabetes.
  • Doenças no fígado.
  • Problemas de circulação e do coração.


Prós e contras da dieta das 8 horas

Períodos de jejum têm realmente uma capacidade depurativa. Durante esse período as toxinas são liberadas pelos excrementos, limpando os sistemas digestivo e circulatório de forma natural.

Contudo, pesquisas recentes afirmam que dormir em jejum afeta, a médio prazo, o sono e consequentemente o humor. Descobriu-se recentemente que o consumo de carboidratos antes de dormir ajuda a diminuir a incidência de insônia. Sabe-se há anos que uma boa noite de sono é vital no processo de emagrecimento, graças aos hormônios secretados enquanto dormimos.

A dieta das 8 horas é um método recém-lançado e por isso é necessária extrema cautela caso haja desejo em aderir a ela. Consulte sempre seu médico.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!