A dieta detox é uma fraude?

A dieta detox é muito estimada entre pessoas adeptas de terapias alimentares alternativas e naturais. O uso de sucos à base de verduras, legumes e frutas, suplementos alimentares e verduras verde-escuras tem sido difundido em larga escala desde o início desse século.

Contudo, uma entrevista de Edzard Ernst, médico, professor universitário e um dos maiores especialistas vivos em medicina alternativa, tem colocado a nocaute a eficiência da dieta detox, chamando-a inclusive de fraude.

Por que a dieta detox é uma farsa?

O doutor Ernst parte de um pressuposto simples: nosso corpo possui uma “rede excretora” perfeita e que elimina as toxinas de forma perfeita e natural. Pulmões, rins, fígado, intestinos e pele consegue filtrar e eliminar toxinas perfeitamente se a pessoa for saudável.

Quanto ao suposto poder de eliminar toxinas acumuladas pelo organismo graças ao consumo de alimentos processados, açúcar e gorduras, o professor Ernst é categórico: os defensores dessas dietas não dão nome às toxinas eliminadas. Não há como saber quais toxinas são retiradas da corrente sanguínea porque elas não são nomeadas propiamente para serem analisadas em um exame simples de sangue.

A dieta detox, de acordo com o professor Ernst, também ilude com truques semelhantes aos usados com fumaça e espelhos; são nomeados algumas substâncias presentes em alimentos sugeridos no regime e diz-se que eles possuem efeito desintoxicante. Chás e peixes sugeridos realmente podem ter ação antioxidantes e anti-inflamatórias e serem benéficos ao metabolismo, mas a desintoxicação não faz parte dessas benesses. Quem elimina as toxinas são os órgãos acima mencionados e ninguém mais.

E tem mais: massagens e ioga podem ser terapias eficazes para dores musculares, mas não são “auxiliares detox”. As únicas terapias desintoxicantes cientificamente reconhecidas são as que eliminam o vício em determinadas drogas, tratamentos graduais que eliminam a dependência química de substâncias entorpecentes.

Quais os reais efeitos das dietas detox?

Citando um velho adágio do cantor Tim Maia, quem se propõe a fazer uma dieta detox de uma semana vai perder sete dias. O professor Edzard Ernst é categórico: perde-se tempo e dinheiro com a falácia desse regime.

Quanto à saúde, pode-se sofrer de deficiências nutricionais quando se segue a dieta por períodos maiores do que uma semana. Porém, o perigo é a banalização da compensação: pessoas podem achar que estão livres para cometer excessos durante a vida e que basta aderir à dieta detox, feita de vez em quando, para equilibrar o metabolismo para que se possa cometer os mesmos exageros de novo.

No final, o professor Ernst conclui: a chave para manter um estilo de vida saudável é a de sempre: alimentar-se de forma salutar, comendo alimentos variados e contendo todos os principais nutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas) sem excessos. Tomar bebidas alcoólicas de forma moderada. Praticar atividades físicas e fugir do sedentarismo. Dormir e descansar o suficiente.

Opinião

Já falamos diversas vezes sobre a dieta detox, sempre tomando cuidado de avisar sobre a necessidade de consultar um nutricionista. À luz das novas informações, recomenda-se incluir os sucos e alimentos do regime em uma dieta indicada por um profissional, e não simplesmente retirar nutrientes à guisa de uma desintoxicação que será feita de qualquer maneira pelos nossos órgãos.

O recado final continua sendo o mesmo: consulte o seu médico antes de começar ou finalizar quaisquer dietas.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.55
Total de Votos: 11

A dieta detox é uma fraude?

Comente