A Dieta do Lanche

Que tal uma dieta baseada em sanduíches? Bom demais para ser verdade? Não se o bom senso predominar na escolha dos ingredientes que comporão a dieta do lanche.

04 de dezembro de 2014 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


Quando eu achei que nada mais me surpreenderia, eis que me deparo com uma certa Dieta do Lanche, que afirma ser possível emagrecer comendo sanduíches. Muitas leitoras que me perguntaram sobre essa dieta quase entraram em êxtase (pelo menos foi o que deduzi graças aos textos em caixa alta): dá para comer x-salada sem culpa!

Calma lá, leitora faminta. A Dieta do Lanche é uma forma simplificada de dizer que é possível manter uma alimentação equilibrada mesmo usando a prática invenção do senhor John Montagu, 4º. Conde de Sandwich.


A dieta do lanche existe?

Na verdade, a Dieta do Lanche é apenas uma espécie de “marca registrada”, que esconde diversas pesquisas feitas a sério sobre a presença dos lanches na alimentação humana e como transformá-la em algo nutritivo.

Por mais que nutricionistas incentivem o consumo de refeições equilibradas feitas com carinho e paciência, o tempo escasso e o excesso de obrigações da mulher moderna não permitem mais que se pratique a nobre arte de cozinhar com a calma de outrora.

Por muito tempo os médicos viram os lanches como inimigos a ser combatidos até que uma alma iluminada (a quem não consegui nomear porque há muitos pretensos pais da Dieta do Lanche)  lembro-se do velho adágio “se não pode com o inimigo, junte-se a ele” e criou um cardápio que incluía sanduíches como substitutos das principais refeições em uma dieta para eliminação do peso. Nascia aí a semente que fez brotar a Dieta do Lanche.

 

carregando…


Como fazer a Dieta do Lanche?

Em primeiro lugar, esqueça os lanches processados pelas grandes redes e pelos famosos carrinhos. Ninguém consegue emagrecer no meio de um festival de gorduras e amido!

  • O segredo da Dieta do Lanche é o perfeito balanceamento entre os nutrientes que precisam estar presentes em uma alimentação saudável; carboidratos, proteínas, gorduras e vitaminas.
  • O carboidrato, adivinhe, vem do pão. Escolha um que forneça no máximo 100 calorias, como o pão ciabata, o pão sírio, duas fatias de pão light ou integral.
  • Capriche na escolha da proteína. Carnes vermelhas magras, peixes, frango sem pele, queijo branco. Mas lembre-se: apenas UM destes itens.
  • Para acrescentar fibras, vitaminas e minerais, aposte em hortaliças, legumes e grãos. Alface, cenoura ralada, palmito (se usar a versão em conserva, não abuse, pois o sal contido nela pode detonar a pretensão saudável do lanche), agrião, rúcula e o que mais for de seu gosto. Mas não exagere na quantidade.
  • Comer um lanche a seco não é exatamente agradável, mas nem por isso o refri gelado deve ser uma opção. Faça sucos naturais usando adoçante. Escolha o seu sabor preferido e atenha-se a tomar apenas um copo de 200 ml. Eu pessoalmente adoro suco de goiaba( fonte de vitamina C e licopeno) e manga (muita vitamina A).
  • O lanche deve ser a refeição principal no almoço e no jantar. Para manter as calorias sob controle, tome cuidado no café da manhã e nos lanches entre as refeições (você se lembra que nutricionistas sérios recomendam seis refeições por dia, não é?). No café da manhã e nos lanches matutinos, vespertinos e noturnos, vá de frutas, alimentos integrais e light e bebidas sem açúcar.

Não faça a Dieta do Lanche sem um acompanhamento nutricional. Tudo o que escrevi até aqui tem efeito apenas ilustrativo. Um nutricionista saberá quais são suas necessidades alimentares e fará um cardápio com lanches saudáveis e gostosos.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!