A dieta e o colesterol

Controle os níveis de colesterol comendo os alimentos certos.

A busca pelo bem estar é uma dos motivos primordiais para quem decide seguir uma dieta equilibrada. Emagrecer pode parecer ser a primeira motivação; contudo, eliminar o peso excedente também faz com que o metabolismo reduza riscos como o de ter níveis de colesterol alto no sangue.

A proporção de colesterol bom e ruim na corrente sanguínea é de vital importância para que problemas como arteriosclerose, infartos e derrames cerebrais sejam evitados. Mais do que simplesmente viver tomando estatinas ou quaisquer remédios para controle dos níveis de gordura, ter uma alimentação balanceada e manter uma rotina diária de atividades físicas é vital.

Efeitos do colesterol ruim

Metade da população brasileira está com sobrepeso, segundo dados do Ministério da Saúde. Esse aumento na camada de gordura aparente é um vetor perigoso para que o colesterol ruim (LDL) se prolifere na corrente sanguínea.

Além do entupimento de veias e artérias, o colesterol ruim em excesso também sobrecarrega órgãos nobres, como o coração, o fígado e os rins. A ligação entre excesso de colesterol e o mal de Alzheimer também é conhecida; o fantasme de uma das mais cruéis doenças neurodegenerativas assombra a quem não se atenta aos níveis perigosos de gordura no sangue.

A alimentação para controlar o colesterol

A boa notícia é que podemos controlar o colesterol montando cardápios que incluam alimentos capazes de manter os níveis de gordura no sangue aceitáveis. Em alguns casos é possível reduzir o consumo de remédios (sempre consulte seu médico antes de tomar ou deixar de tomar quaisquer medicações).

Veja aqui alguns alimentos que podem ajudar a manter o colesterol sob controle.

Peixes – O mais célebre alimento de muitas dietas saudáveis, o peixe é fonte de ômega 3, uma gordura insaturada que controla e reduz os níveis de triglicérides e colesterol ruim deixando o sangue livre de coágulos. Embora peixes de águas frias possuam mais ômega 3, quaisquer peixes são fontes desse nutriente.

Laranja – Os antioxidantes contidos em uma das frutas mais populares do país provou-se aliado contra o colesterol alto porque ele ajuda a diminuir os níveis de colesterol LDL, o que entope as artérias e veias.

Chocolate amargo – Quanto mais cacau e mais acre o gosto, melhor. Os flavonoides, substâncias com poder antioxidantes presentes na iguaria, também ajudam a reduzir nos níveis de colesterol. Bastam 30 gramas diárias.

Canela – Uma das especiarias mais apreciadas também é amiga dos níveis de gordura no sangue. Além de sua conhecida ação termogênica, que queima calorias de forma mais efetiva, a canela também combate o colesterol ruim graças ao seu poder antioxidante.

Sementes oleaginosas – Nozes, castanhas, amendoim… Esses alimentos fornecem gordura boa (HDL) e tem propriedades vasodilatadoras que ajudam a diminuir os riscos de placas e coágulos e fazem com que o sangue circule desimpedido pelo sistema circulatório.

Azeite de oliva – Fonte de vitamina E, um poderoso antioxidante e de ácido oleico, que regula das taxas de colesterol no sangue e também combate o excesso de açúcar no sangue, o azeite é o companheiro ideal das saladas. Use com moderação.

Soja – Estamos falando aqui da versão em grão. Além de possuir isoflavonas que são vitais para mulheres na menopausa, a soja combate o colesterol ruim, aumenta os níveis de colesterol bom e tem propriedades anti-infecciosas.

Considerações finais

Controlar o colesterol através de alimentos que auxiliem seu controle é recomendado e comprovado, mas não faça nada disso sem acompanhamento médico. Existem porções seguras para o consumo desses alimentos e para saber quais são, procure um nutricionista e baseie um cardápio em seu metabolismo e estilo de vida.

Avalie este conteúdo!
Avaliação média: 4.67
Total de Votos: 12
A dieta e o colesterol

Comente