A dieta low-carb

A dieta low-carb é uma das mais eficazes para a perda de peso. Contudo, é preciso muito cuidado, pois a adesão ao cardápio precisa obedecer regras rígidas.

21 de julho de 2015 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


As dietas da moda enfatizam o emagrecimento, mas nunca o caminho percorrido. Toda reeducação alimentar exige critério e acompanhamento para ser bem sucedida. A dieta low-carb, ou dieta com baixo índice de carboidrato, é uma delas.

As histórias de sucesso dos adeptos da dieta low-carb são numerosas, mas junto com elas existe sempre o cuidado em dizer que é preciso critério para iniciá-la.

 


Princípios da dieta low-carb

A proposta é simples: diminuir o consumo de carboidratos consumidos por dia. Em uma dieta convencional, recomendada por médicos, preconiza-se a ingestão de pelo menos 55% do montante das refeições sendo composta de carboidratos.

Dieta-cu-friptura-o-dieta-care-o-sa-va-incante-cu-siguranta

Na dieta low-carb, esse percentual pode cair abaixo de 40%, e entre esses carboidratos prefere-se o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico, aqueles cujo açúcar é absorvido de forma mais lenta. São comuns no cardápio a inclusão de alimentos integrais e batata-doce.


Diretrizes da dieta

Na dieta low-carb bem conduzida por um nutricionista, a redução de carboidratos deve ser feita de forma inteligente e contínua, mas por tempo determinado, focando em trocas que permitam a manutenção do metabolismo em níveis aceitáveis.

O cuidado com o decréscimo de carboidratos nas refeições deve ser redobrado. Se a redução for maior do que 40% do total consumido durante todo o dia, isso pode prejudicar a saúde

carregando…


Por que a falta de carboidratos faz mal à saúde

O carboidrato é a principal fonte de energia do organismo, e graças a ele todas as funções metabólicas se normalizam, desde que consumido com critério.

Quando o corpo deixa de receber o aporte necessário de carboidratos, a taxa metabólica cai, causando diversos sintomas:

  • Dificuldade em queimar calorias, facilitando o acúmulo de gordura e consequente obesidade.
  • Insônia ou muito sono, dependendo de cada pessoa.
  • Dores de cabeça e tonturas.
  • Indisposição e cansaço contínuos.
  • Prisão de ventre e demais problemas estomacais decorrentes.
  • Piora na atenção.


Disciplina, cuidado e mudanças alimentares

Na dieta low-carb, o consumo de proteínas sofre um aumento, mais por conta da redução dos carboidratos, por isso prioriza-se a ingestão de proteínas com baixo índice de gordura e alto desempenho, pois os músculos usam esse nutriente para se desenvolver. É sabido que massa magra ajuda na queima de calorias.

O consumo de fibras solúveis e insolúveis é essencial, graças ao baixo índice glicêmico e ao auxílio à flora intestinal. Além disso, a dieta low-carb traz em seu bojo a prevenção do diabetes tipo 2, principalmente por causa do baixo aporte de açúcar fornecido.

Para que o cardápio da dieta low-carb seja eficaz, é preciso obrigatoriamente o acompanhamento de um nutricionista, já que a redução dos carboidratos feita baseando-se em achismos e receitas de internet pode ser danosa.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!