A dieta Ornish

A dieta Ornish é conhecida pelos benefícios ao coração. Mas será que também emagrece?

A dieta Ornish foi classificada como uma das dez mais eficientes pela US News and World Report. A lista anual da publicação estadunidense usa como critérios principais o quão fácil é seguir o regime, quanto peso se elimina a médio e longo prazo, o seu valor nutricional e se a dieta ajuda a prevenir doenças relacionadas à obesidade, como o diabetes e a hipertensão.

Segundo os estudos capitaneados pela equipe do periódico americano, a dieta Ornish tem prós muito interessantes, nas contras que valem a pena serem observados de perto.

Conceitos básicos

Antes de começar, o alerta de sempre. Esse texto é uma simplificação para fins de entendimento. O blog não é consultório e nem farmácia.

Criado pelo professor de medicina Dean Ornish em 2007, a dieta que leva seu sobrenome foca em mudanças intensas na alimentação, na inclusão de exercícios físicos aeróbicos, na administração de estresse e  no apoio emocional de família e amigos. Esses pilares são chamados pelo médico de Espectros.

Os objetivos primordiais da dieta Ornish são a perda de peso,e a prevenção de doenças crônicas associadas à obesidade, principalmente as cardíacas, redução dos níveis de colesterol e da pressão sanguínea, reversão do diabetes e a prevenção dos cânceres de próstata e da mama.

Seguindo os Espectros

O principal pilar da dieta Ornish é a prevenção das doenças do coração.Para que essa meta seja atingida, os alimentos são classificados em cinco grupos em ordem de importância do mais saudável para o menos em ordem crescente (o grupo um é o mais salutar e o grupo cinco, o mais prejudicial).

Alimentos como grãos integrais, frutas, verduras e derivados de soja são os mais recomendados. O consumo de gorduras é reduzido ao mínimo necessário, geralmente limitado a fontes de ômega 3 e 6, como peixes. Alimentos refinados e com taxas de colesterol altos demais segundo a cartilha da dieta Ornish são banidos. Clara de ovos, iogurte e leite desnatados, além do já citado peixe, são as fontes de proteína aceitas.

Os exercícios são focados no trabalho aeróbico de média e alta intensidade; atividades como meditação e ioga são usados para combater o estresse e seu hormônio correlato, o cortisol. Parar de fumar é condição inegociável e estimula-se o bom relacionamento entre familiares e amigos, formando uma ambiente social de apoio à dieta.

Eficácia da dieta Ornish

O regime consegue atingir seus objetivos no que diz respeito à prevenção de doenças cardiorrespiratórias com louvor, segundo pesquisas feitas desde que a dieta for criada. O “problema” é a adesão voluntária ao espectro alimentar. Não se obriga quem quiser apenas perder peso a seguir os preceitos mais rigorosos do cardápio destinado à prevenção dos problemas cardíacos.

Embora quem siga a dieta Ornish “a ferro e fogo” consiga perder definitivamente cerca de dez quilos em um ano, em média, os alimentos exigidos pelo regime não são exatamente acessíveis ao bolso do brasileiro médio. A adesão ao regime e sua manutenção costumam ser baixas a longo prazo por conta dos custos e das restrições do espectro mais rigoroso.

Considerações finais

Em retrospecto, a dieta Ornish pode cumprir a meta de perder peso e, por tabela, prevenir doenças relacionadas à obesidade graças ao bem pensado programa baseado nos espectros acima mencionados. Contudo, o custo nada amigável dos alimentos preconizados pelo regime mais as restrições mais severas dirigidas no espectro que cuida da prevenção de doenças do coração pode afastar algumas pessoas.

Consulte sempre um nutricionista antes de iniciar quaisquer dietas.

Avalie este conteúdo!
Avaliação média: 4.55
Total de Votos: 11
A dieta Ornish

Comente