Ano novo, dieta nova?

Será que é realmente necessário começar uma nova dieta quando um novo ano se inicia? O que é preciso fazer para que a meta do emagrecimento seja atingida?

12 de janeiro de 2015 • Por Mariana, em Comportamento, Destaques


Não adianta. Basta que um novo ano comece para que todas nós façamos as famosas listas de intenções e promessas, e entre elas fatalmente estará “começar a fazer dieta”.

Essas expectativas deveriam gerar alguns questionamentos em relação ao desejo em iniciar um regime: devemos começar uma nova dieta ou manter a anterior? Será que é necessária alguma mudança no cardápio para que o regime seja mais eficaz?

destaque-dieta-74956


O objetivo da dieta

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que dietas precisam ser levadas a sério. Regimes que incluem ou excluem porções, calorias e nutrientes precisam ser devidamente dosados às suas necessidades nutricionais.

Há as dietas que são feitas para perder peso (e não encontrá-ls mais, de preferência). Há regimes que restringem o consumo de determinado nutriente por conta de alguma patologia, como o diabetes ou a doença celíaca. Há quem deseje apenas não comer mais carnes. E para cada desejo ou necessidade há uma metodologia específica para que a dieta alcance seus objetivos.

Por mais que isso soe repetitivo aqui nesse blog, quem irá determinar com exatidão os métodos corretos para cada dieta é o nutricionista.


E as dietas que já fiz?

Sabemos que esse não é um mundo perfeito e que nem todas nós temos tempo para passar por uma consulta com um nutricionista ou mesmo acesso a um. Por isso, muitas se arriscam a seguir, ipsis litteris, o que revistas e sites professam.

Embora haja inegáveis casos de sucesso, há sempre o fator imponderável do metabolismo de cada uma de nós. É muito comum ouvirmos a seguinte reclamação:

carregando…

Minha amiga seguiu a dieta X e conseguiu perder Y quilos em Z semanas. Eu segui os mesmos passos que ela seguiu e não consegui sequer eliminar um mísero grama!

Por mais que isso soe como um clichê, a verdade é que cada caso é um caso. As respostas ás discrepâncias de resultados podem estar na resposta metabólica ao consumo de alimentos, na reação física aos exercícios feitos, nos possíveis distúrbios ou doenças que acometeram a pessoa, nos níveis de estresse… a lista é enorme.


Como escolher a dieta ideal?

Para que o regime escolhido seja eficiente aos propósitos previamente estabelecidos, sejam eles quais forem, é preciso seguir um passo a passo seguro.

  1. Faça um check-up com seu médico e seu ginecologista. Peça exames de sangue e faça testes de esforço físico, (testes ergométricos).
  2. Consulte um nutricionista quando estiver com seus exames prontos e devidamente analisados pelo médico generalista e pelo ginecologista.
  3. Se não houver nenhum impedimento físico, inclua atividades físicas rotineiras em sua rotina.
  4. Siga a dieta balanceada que o nutricionista indicar para seu caso específico.

E sempre que você souber de alguma dieta da moda, pesquise-a com atenção. Se você se sentir seduzida pelas expectativas que ela sugerem, mostre-a ao seu nutricionista.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!