As dietas dos Famosos e Celebridades

Gosta de saber o que celebridades e famosos fazem para manter o corpo magro e saudável? Conheça alguns truques e dicas aqui.

29 de junho de 2017 • Por Mariana, em Comportamento, Dicas e Dietas, Resenhas de Livros


O desejo de emagrecer deveria começar por uma indicação médica após se constatar um estilo de vida onde o acúmulo de gordura corporal se transforme em sobrepeso ou obesidade. Contudo, o maior gatilho para muitos e muitas de nós pensemos em eliminar o excesso de peso vem de uma fonte externa bastante comum e às vezes questionável: a beleza institucionalizada e alardeada por pessoas famosas.

O culto às celebridades não se limita apenas a acompanhar o trabalho artístico e cultural de um ídolo da música, da televisão, do cinema, das plataformas digitais e das redes sociais; quando um famoso se mostra dono de formas consideradas perfeitas e atribuem a isso um estilo de vida “X” e uma dieta “Y”, o enorme séquito de fãs dos famosos buscam as fórmulas “mágicas” que ele seguem. Revistas, sites, vídeos no YouTube, postagens em redes sociais diversas e programas de televisão veiculam esses “segredos” dos famosos em forma de receitas, dicas, tutoriais e reality shows, tudo consumido de forma ávida por uma parcela cada vez maior da população.

Esse estímulo é inevitável e pode ser benéfico quando se transforma em um ponto de partida saudável para que se incluam mudanças de hábitos alimentares e de estilo de vida onde a eliminação do sedentarismo se torne prioridade. O grande problema é o alto teor de métodos e metas que são, em sua imensa maioria, irreais para a imensa maioria de nós, reles mortais. Ter o estômago definido em gominhos como o de um cantor ou ator de novela ou cinema ou ser uma ampulheta humana ornamentada por seios fartos e glúteos avantajados como diversas novas divas da música, do cinema e da televisão não é impossível, mas tampouco é fácil e conseguido do dia para a noite.

O culto aos famosos e a “síndrome do culto à celebridade”

Usar uma pessoa famosa como parâmetro de vida pode ser tanto uma fonte de entretenimento quanto uma patologia. Diferir um do outro nem é tão difícil; basta atentar para os chamados três estágios da síndrome do culto às celebridades, termo cunhado a partir de pesquisas feitas em universidades de Orlando, Flórida e Springfield, Illinois. O primeiro estágio é seguir os famosos apenas por diversão. Saber detalhes da carreira e da vida privada disseminada pela mídia é apenas entretenimento mas pode ser considerado uma disfunção se a necessidade por essas informações ultrapassar alguns parâmetros.

O segundo estágio já é considerado um vício graças aos sintomas: adoração ao ídolo e um nível bastante elevado de intimidade unilateral (a pessoa conhece mais sobre a vida da celebridade do que, por exemplo, seu próprio saldo bancário ou sua própria saúde), a ponto de vibrar por suas conquistas e sofrer com eventuais reveses. Essa adicção é bastante preocupante e requer um pouco mais de atenção. Contudo, nada é mais perigoso do que o terceiro estágio. Nele, pessoas topam qualquer coisa pelo ídolo. Qualquer coisa mesmo, sem passar por crivos morais e éticos. Matar e morrer fazem parte da lista de opções desse tipo de pessoa. Quem quer ter uma ideia do que esse tipo de obsessão pode causar pode assistir um filme chamado “Louca Obsessão” (Misery), dirigido por Rob Reiner, onde Kathy Bates ganhou um Oscar por personificar a tiete enlouquecida.

Mas o que o culto a celebridade tem a ver com a dieta dos famosos?

Absolutamente tudo. Uma celebridade costuma estar cercada por um oceano de assessores, personal trainers, médicos, nutricionistas, endocrinologistas, psicoterapeutas, cirurgiões plásticos e uma pletora de profissionais dedicados a cuidar do seu corpo e da sua mente. Esse séquito é muito bem pago e não é barato, mas os resultados são evidentes: corpos cinzelados à perfeição, alimentação saudável com cardápios elaborados exclusivamente baseados no biotipo do famoso e ingredientes escolhidos criteriosamente e atividades físicas monitoradas pelos melhores profissionais existentes. Seguir a dieta da celebridade A ou B depende muito mais do que simples força de vontade e identificação com seu ídolo; o aporte financeiro é grande e poucos poderão arcar com os custos do estilo de vida de alguém tão famoso.

Nada impede que saibamos o que os famosos fazem para ter e manter os corpos esculturais, o sorriso tão branco e os cabelos tão sedosos. O que podemos fazer é usar esses exemplos como um estímulo positivo e adaptar as ideias iniciais ao padrão “pé no chão” que nossa realidade impõe. Quando veiculamos o que celebridades adoradas fazem para manter o corpo com taxas de gordura invejáveis até mesmo para atletas de alto desempenho, nosso objetivo é informar e dar novos parâmetros para que cada uma de nós busque o melhor caminho para emagrecer, sempre prezando pela saúde e o bem estar. Isso posto, vamos ao que interessa.

Dicas para emagrecer de Lair Ribeiro

O doutor Lair Ribeiro, cardiologista e nutrólogo, é um dos expoentes nacionais da Programação Neurolinguística (PNL), técnica que propõe uma interação entre corpo, mente e linguagem para formar níveis diversos de percepção, usados principalmente no marketing, na propaganda e em alguns estudo comportamentais. Ciente do alcance da PNL, doutor Lair tem usado esse método para propor a reeducação alimentar através do consumo de alimentos funcionais.

São chamados de alimentos funcionais aqueles que, além de cumprir as funções básicas de nutrição, podem ajudar a combater doenças, fortalecendo o sistema imunológico e/ou combatendo as causas desses males. São reconhecidamente eficientes como coadjuvantes de tratamentos de doenças degenerativas, como o câncer e o diabetes. Legumes, frutas, verduras, temperos e fontes de gorduras boas como o ômega 3 fazem parte das sugestões de alimentos que podem ser incluídas em qualquer cardápio. Muitos famosos seguem os preceitos do doutor Lair Ribeiro à risca, acompanhando suas palestas e comprando seus livros, como “Emagreça Comendo”.

“Saúde Frugal”, de Eduardo Corassa

Falando em livros, a edição independente “Saúde Frugal”, escrita por Eduardo Corassa, amealhou celebridades ávidas por dietas que emagreçam de forma rápida e aparentemente saudável. Basicamente, ele prega uma das versões mais radicais do veganismo, chamado de crudivorismo e alia a isso uma visão dietética com ares de doutrinação chamada dieta higienista. O que atraiu muitos famosos ao estilo de vida proposto por Corassa foi a história de vida do escritor.

Eduardo Corassa era o retrato do jovem desse século: jogador de videogame profissional, sedentário e consumidor voraz de junk food, sua vida era um carrossel nada saudável que girava em torno de testar a jogabilidade de games enquanto consumia refrigerantes, batatas fritas, hambúrgueres e cachorros-quentes, doces e cigarros. Esse estilo desregrado de vida cobrou o seu preço: entre os seus 16 e 20 anos, os problemas de saúde se acumulavam, aliado a uma sensação contínua de desânimo e cansaço.

Quando, aos 20 anos, Eduardo Corassa decidiu mudar completamente o modo com que se relacionava com a comida e com a vida, ele descobriu o crudivorismo através de pesquisas pela Internet. Aprofundando-se sobre o assunto, ele chegou à gênese do movimento crudívoro como o conhecemos, delineado pelos estadunidenses Douglas Graham e Herbert Shelton. Segundo eles, deve-se eliminar toda forma de cozimento dos alimentos, baseando a dieta em legumes, frutas verduras e algumas raízes. Vegano por definição, o crudivorismo é uma dieta extremamente radical em seus preceitos. Corassa abraçou as ideias de corpo e alma. Ele eliminou 20 quilos e saiu do patamar perigoso do sobrepeso.

Formado em Letras, Corassa também estudou Nutrição para poder aprofundar-se sobre o estilo de vida vegano em geral e crudívoro em particular, escolhendo a dieta higienista criada por Herbert Sheldon como pilar de sua futura obra literária. Em resumo, a dieta higienista defende uma combinação de alimentos que seja nutritiva e de fácil digestão, já que esse regime é bastante rico em fibras, que pode causar constipação quando consumidas em excesso e sem hidratação adequada. O primeiro passo para começar a dieta é o jejum, um período de depuração que seria complementado pela adoção ao crudivorismo, que alimentará, segundo Corassa, o organismo com a energia plea dos alimentos, sem perdas causadas pelo cozimento.

O livro “Saúde Frugal” pode ser encontrado em seu site. Ele também é chef e ministra palestras sobre o estilo crudivorista/frugivorista e a dieta higienista. Embora o crudivorismo tenha sido incorporado à rotina de muitos famosos, cabem aqui alguns alertas. Sim, alguns alimentos perdem seus nutrientes ao serem cozidos, mas há alguns que não só os mantêm como têm sua taxa nutricional incrementada. O tomate é o exemplo mais famoso; o extrato do fruto contém mais licopeno (substância que dá cor ao tomate e que possui propriedades anti-cancerígenas) do que a versão in natura. Em geral, dietas veganas sofrem de deficiências minerais e vitamínicas importantes. Para que quaisquer dietas que eliminam proteínas animais sejam saudáveis e não causem avitaminoses, anemias e desnutrição, é preciso equilibrar bem os alimentos que fornecem os nutrientes faltantes e consumir suplementos vitamínicos.

Famosos conseguem seguir a contento a dieta higienista e o crudivorismo sem efeitos deletérios graças á retaguarda de médicos e treinadores que a fama traz. Consultar o seu médico é o primeiro passo antes de aderir a quaisquer dietas.

A dieta das assistentes de palco, das estrelas globais e do Fábio Porchat

Não há quem observe com admiração e inveje, com maior ou menor grau, os corpos esculturais de assistentes de palco (que podem atender pela alcunha de “coleguinhas”, se dançam no Caldeirão do Huck; “panicats”, se exibem seus corpos no programa Pânico, ou quaisquer outros nomes nos diversos shows televisivos), de atores e atrizes de novelas e filmes e de participantes de reality shows que focam na perda de peso de uma celebridade. Sites, revistas e periódicos de fofocas adoram especular sobre o segredo que as tornam tão atraentes e magras. Na verdade, não chega a ser algo tão misterioso, mas fruto de um misto de disciplina, trabalho duro e dinheiro. Acompanhe.

Assistentes de palco: dançar para não dançar

Mulheres que trabalham como assistentes de palco (dançando ou fazendo figuração de luxo) são escolhidas a dedo por agências especializadas e precisam seguir padrões de visual e conduta que são basicamente esses:

  • Nada de músculos definidos para elas! Assistentes de palco não podem ostentar bíceps marcados e barrigas tanquinho, o que denotaria uma “masculinização” da figura feminina.
  • Ao invés do foco nas atividades anaeróbicas (musculação), elas priorizam exercícios aeróbicos que permitem manter um nível de massa magra sem criação exagerada de músculos. Dança, bicicleta, corrida, step e demais atividades são exemplos das atividades mais praticadas. O condicionamento cardiorrespiratório também é incrementado, já que as assistentes geralmente dançam durante todo o tempo do programa.
  • Há quem garanta que a forma física que elas mostram é um dom genético, mas pelo sim, pelo não, a equipe de nutricionistas e médicos por trás da equipe de assistentes de palco elabora um cardápio balanceado e até mesmo restritivo em alguns pontos. Suplementos alimentares à base de proteína, como shakes, são proibidos. Eles podem aumentar a massa muscular e transformar as curvas suaves das mulheres em um mapa anatômico cheio de músculos salientes.
  • Ainda no quesito comida, as três refeições e os lanches são pensados para fornecer a energia suficiente para mantê-las dentro dos padrões estéticos exigidos por cada programa. O café da manhã tem uma fonte de carboidrato complexo, outra de proteína magra e o mínimo de gordura possível. No almoço e no jantar, priorizam-se proteínas e carboidratos advindos de fontes integrais, mais a inclusão de gorduras que ativem o metabolismo de forma positiva (leia-se: ajude a queimar calorias ao invés de guardá-las), como o ômega 3. Não à toa, muitas assistentes de palco são adeptas da culinária japonesa, rica em peixes e que são fontes tanto de proteína quanto de ômega 3.
  • Os lanches são compostos por frutas, ou iogurtes light, ou chocolate amargo. São parte do preceito de se alimentar de três em três horas, seguido por dez entre dez assistentes.

A rotina delas é espartana, guardadas as devidas proporções, mas muitas delas conseguem se sobressair e conseguem contratos de publicidade, participação em novelas e filmes e notoriedade grande o suficiente para participar de reality shows, programas de variedades e/ou jornalísticos e as inevitáveis revistas masculinas.

Estrelas globais: dieta ao alcance do controle remoto

Atores e atrizes da Rede Globo tornam-se padrões de beleza nacional graças ao alcance que novelas, minisséries e programas vários têm entre a população. Manter o corpo sempre magro e saudável é uma questão de ego e sobrevivência; continuar relevante para que autores de novelas e produtores de programas e lembrem deles é uma tarefa constante entre os famosos. Graças a isso, há quem consiga patrocínios e permutas tanto usando a própria Globo quanto redes sociais, como o Instagram.

Contudo, uma das perguntas mais feita em qualquer fórum, rede social ou na central de atendimento ao telespectador é “Qual é a dieta dos famosos? O que eles comem para se manter magros e tão saudáveis?”. O que parecia ser um segredo insondável foi, em parte, mostrado em um dos programas da própria emissora, o vespertino “Video Show”. E não é algo tão inalcançável quanto muitos imaginavam.

  • Em primeiro lugar, aboliu-se o consumo de fast food, sem exceção. Refrigerantes não entram mais no cardápio de muitos atores e muitas atrizes. Há quem diga que no Projac (a central de produções da Rede Globo, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro) não há mais do uma uma máquina de refrigerantes em todas as instalações.
  • Alimentos orgânicos e naturais tornaram-se os queridinhos entre os famosos globais. Embora mais caros, os orgânicos eliminam os agrotóxicos da cadeia de produção, o que elimina riscos de intoxicação e de acúmulo de toxinas que possam favorecer a obesidade. Muitas celebridades participam ativamente da expansão e popularização de produtos sem defensivos agrícolas.
  • Entre as bebidas, destaque para o suco de clorofila e o leite de castanha fortalecido com ferro e cálcio. A clorofila é consumida pura ou junto com sucos de fruta tradicional. Já o leite de castanha é a alternativa vegana para quem abandonou o leite de origem animal.
  • As refeições principais (café da manhã, almoço, jantar e lanches entre eles) seguem os mesmos parâmetros nutricionais e dietéticos das assistentes de palco, com um pouco mais de flexibilidade. Alguns famosos optam por uma espécie de “marmita fitness” bolada por um nutricionista ou nutrólogo. Cada celebridade tem seu “nutricionista de estimação” e basta pesquisar no Google para saber qual é o profissional do seu artista preferido.
  • As atividades físicas fazem parte intrínseca da rotina de famosos globais. Corrida, dança, lutas diversas (artes marciais, boxe, muay thai, krav magá…), ciclismo, pilates, ioga… Muitos abrem mão dos carrinhos elétricos para se movimentar entre estúdios e dispensam o uso de elevadores. Há relatos de perda de peso expressivos, entre 6 e 10 quilos em três meses.

Muitos famosos não se rendem às neuroses dietéticas, como o abandono de doces e guloseimas. A adaptação a porções pequenas desses prazeres também faz parte da reeducação alimentar à qual todos se submetem por força da fama e da relevância.

Medida Certa: o elo entre Zeca Camargo, Ronaldo e Fábio Porchat

Em 2011, o programa Fantástico lançou um quadro com ares de reality show chamado “Medida Certa”. O objetivo era fazer com que alguém famoso emagrecesse e aderisse a um estilo de vida mais saudável e ativo. A primeira temporada contou com os apresentadores do programa dominical à época, Milena Ceribelli e Zeca Camargo. Após mostrarem o quanto eles engordaram com o passar dos anos – imagens de arquivo dos dois mostraram a diferença – , eles foram apresentados ao desafio programado por Márcio Atala, o preparador físico das celebridades.

Quem mais chamou a atenção foi Zeca Camargo. Antes um esguio jornalista egresso da MTV, ele tinha se tornado um homem mais, digamos, parrudo. Durante 90 dias, o prazo dado pelo treinador e pelo programa, Zeca e Milena foram monitorados diariamente, sob os olhares atentos dos telespectadores. Eles começaram uma rotina diária de treinos aeróbicos e anaeróbicos para eliminar peso e ganhar massa muscular e aderiram a uma dieta hipocalórica e criteriosamente monitorada por clínicos gerais, nutricionistas e endocrinologistas.

O sucesso do quadro levou à inevitável segunda temporada, que prometia ser bombástica: um dos participantes foi o ex-jogador Ronaldo, que à época era alvo de piadas por conta do sobrepeso ostentado em aparições públicas e fotos. Decidido a deixar os quilos a mais no passado, Ronaldo foi um dos mais ativos participantes do quadro e perdeu 17 quilos.

Na terceira edição, o destaque foi o comediante Fábio Porchat, hoje apresentador de um talk show na Rede Record e co-fundador do canal Porta dos Fundos. Aparentemente, ele não precisaria se submeter À dieta e aos exercícios propostos por Atala, até que exames médicos e a balança provaram o contrário. Acompanhando a rotina de Porchat, descobriu-se que ele cometia erros que muitas de nós cometemos sem perceber:

  • Ele fazia longos períodos de jejum. Não era intencional; ele simplesmente se esquecia de comer entre suas inúmeras atividades.
  • Porchat consumia pouquíssima água. Os rins precisam que haja água no organismo para que ele trabalhe adequadamente e o metabolismo necessita do líquido para sobreviver, mas Porchat não ouvia o chamado da natureza e mal bebia meio copo d’água por dia.
  • As principais refeições do comediante eram fartas de gorduras saturadas e carnes vermelhas. Embora façam parte do cardápio, esses nutrientes eram consumidos em excesso.
  • O consumo de bebidas alcoólicas era elevado. Porchat sempre tomava vinho, e não era apenas uma taça por refeição.
  • Por fim, ele levava uma vida totalmente sedentária, com pouco ou nenhum esforço físico no dia a dia.

Um dos méritos do “Medida Certa” foi o foco em perda de gordura, e não simplesmente da massa corporal, chamada comumente de peso. A dieta proposta pela equipe que Márcio Atala formou deu importância maior à nutrição e à adaptação do cardápio ao metabolismo de cada participante. Os exercícios foram monitorados para que se descobrisse o quanto de energia cada um gastava em movimento e em repouso e assim programar as melhores atividades físicas para cada metabolismo e a melhor combinação de alimentos para que eles fossem nutricionalmente eficientes sem se transformarem em gordura.

Atualmente, o Medida Certa tornou-se um aplicativo para celulares Android e iOS que obedece os mesmos preceitos do programa: perder peso em 90 dias de acordo com seu perfil, sugerir exercícios de acordo com seu nível de sedentarismo ou de atividades físicas e lembrar dos horários das refeições.

carregando…

Emagrecimento Jenny Craig: a escolha dos famosos internacionais

Conhecida há pelo menos duas décadas nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, o método de emagrecimento Jenny Craig é apoiado por uma monstruosa campanha de marketing onde famosos e celebridades mundiais exortam a qualidade e a eficácia dessa dieta. Fundada por Geneviève Guidroz, hoje conhecida como Jenny Craig, a empresa nasceu da necessidade dela em perder peso. Craig decidiu preparar comida congelada seguindo preceitos dietéticos bastante rígidos: baixos teores de sódio, açúcares e gorduras nos pratos principais, porções reduzidas e eliminação do sedentarismo.

Esse método “caseiro” funcionou tão bem que ela, num rompante empreendedor, decidiu abrir uma empresa de alimentos prontos congelados juntamente com seu marido à época, Sidney Craig. Jenny Craig fez uma pesquisa de mercado e obteve ajuda de nutricionistas, nutrólogos, treinadores e outros profissionais ligados à nutrição. Os principais objetivos dela foram criar toda uma linha de produtos congelados que focassem em alimentação saudável e nutricionalmente eficaz; e criar um estilo de vida que fosse modificador e saudável graças à eliminação do sedentarismo.

Atualmente o método Jenny Craig pertence à suíça Nestlé, que adquiriu a empresa em 2006 e a incluiu em seu braço institucional Nestlé Nutrition.

Como é o método de emagrecimento Jenny Craig?

A dieta possui o propósito de controlar “a alimentação, os sentimentos e o condicionamento físico”, segundo a missão da empresa. O regime alimentar é individualizado, baseado em um questionário sobre hábitos diários da pessoa e divididos em duas fases distintas.

Na primeira fase, a rigidez da dieta é total e inflexível. Os únicos alimentos que poderão ser consumidos são os pratos congelados e semi-prontos desenvolvidos a partir da personalização do cardápio. Não há espaços para a inclusão de quaisquer alimentos fora do que já estejam no cardápio e praticar atividades físicas. A meta inicial é perder metade do peso inicial do cliente e não há um prazo: a primeira fase só termina quando esse alvo for atingido. Uma das mais elogiadas características do método Jenny Craig é a total adaptação ao cliente; existem cardápios veganos, baseados na idade, desenvolvidos para quem tem intolerâncias e alergias e até mesmo comidas desenvolvidas a partir da religião (o cardápio kosher seguido por judeus, por exemplo).

Na segunda fase, alimentos de fora do cardápio são inseridos pouco a pouco, sempre de acordo com a perda de peso e as mudanças reais de estilo de vida da pessoa. Suplementos vitamínicos e sobremesas, também vendidos nos menus individualizados, são inclusos. Uma refeição diária completa não ultrapassa as 1200 calorias.

Vale a pena aderir ao método de emagrecimento Jenny Craig?

Embora alguns especialistas digam que pode haver problemas de deficiências nutricionais e vitamínicas em alguns cardápios, o método Jenny Craig também se antecipou a isso, criando uma linha de suplementos vitamínicos que podem ser incluídos nos pacotes de cardápios congelados. Apesar de ser uma dieta famosa e que mostra resultados positivos quando se segue à risca seus preceitos, o método não é exatamente acessível; o cardápio semanal pode custar até US$ 100, quando se encontram algumas promoções.

A dieta das notas que os famosos seguem

Estrelas globais do porte de Fátima Bernardes, Carolina Dieckmann e Patrícia Poeta aderiram e se tornaram garotas propagandas, mesmo que involuntárias, da dieta das notas, ou dieta nota 10, elaborada pelo endocrinologista Guilherme de Azevedo Ribeiro. Baseado no princípio da pureza do alimento, ou seja, não existe comida boa ou ruim para o metabolismo e sim porções inadequadas, o equilíbrio ou o excesso, ele criou um sistema de aferição do valor energético dos alimentos por notas. Essas notas, dadas em pontos, são fornecidas pela altura e pelo estudo metabólico de cada paciente. Os pontos variam entre 450 e 700 e cada pessoa tem sua tabela de pontos individualizada.

O grande pulo do gato da dieta das notas é a ausência de restrições. Carboidratos, proteínas e gorduras estão presentes em todos os cardápios e o menu é apoiado no gosto de cada pessoa. Absolutamente NADA é proibido: de frituras a refrigerantes, de doces de padaria a pizzas, todo alimento é aceito. O que muda é a quantidade consumida durante o dia; se a meta de notas for alcançada, há duas opções: só comer no dia seguinte ou ultrapassar a cota e gastar essa energia excedente em exercícios extras.

O foco da dieta das notas, ou dieta nota 10, é a reeducação alimentar e a mudança gradual de estilo de vida, principalmente a eliminação da inatividade. Famosos gostam desse regime por não ser restritivo e por privilegiar a adição de exercícios regulares ao dia a dia. Além de render uma perda de peso gradual e saudável, esse estilo de vida tem charme o suficiente para ser postado no Instagram.

Para cada famoso, uma dieta

Existem celebridades que atraem a atenção de quem quer se espelhar como exemplos a serem seguidos, esteticamente falando, por conseguirem façanhas consideradas extraordinárias aos meros mortais. Coisas como manter a boa forma depois da gravidez, engordar e emagrecer para contracenar em papéis diversos, manter a forma para ser referência em esportes, lançar uma linha de produtos que se tornam um sucesso… ou seguir uma rotina frugal de uma figura histórica e religiosa para ter um corpo esbelto.

Angélica: o corpo após três gestações

De apresentadora infantil a presença global em programas em eventos. A trajetória de Angélica é impressionante, sob qualquer ótica. Mas o que mais chama a atenção dos seus fãs é a capacidade que ela teve em manter o corpo magro e sarado após três filhos. Não existe uma “Dieta da Angélica”, por mais que muitos sites e revistas usem essa isca para ter acessos e vender muitas edições. Na verdade, ela conta com o aparato que a maioria das celebridades têm para permanecer como ícone fitness: médicos, nutricionistas, endocrinologistas e treinadores estrelados que conseguem controlar a saúde da apresentadora.

Angélica disse em várias entrevistas que ela engordou cerca de 10 quilos em cada gravidez, um índice de ganho de peso aceitável para seu biotipo (lembrando que o sobrepeso na gravidez pode causar problemas graves para a mãe e para o bebê, como hipertensão e diabetes gestacional). A dieta seguida por ela durante a gravidez foi criteriosamente elaborada para que o equilíbrio nutricional fosse alcançado sem problemas: proteínas e carboidratos foram balanceados e as fontes de gorduras, as mais saudáveis possíveis, principalmente os ácidos graxos ômega 3 e 6, além de aporte extra de ácido fólico, essencial na gravidez.

Após dar à luz aos seus filhos, a dieta foi acompanhada de uma rotina de atividades físicas monitoradas. Malhadora voraz, Angélica usou e abusou de caminhadas, bicicleta (tanto dentro quanto fora de casa), trampolim para a prática do power jump, esteira para correr. Para definir músculos, ela apostou na musculação e na calistenia (exercícios físicos feitos sem o auxílio de equipamentos). O abdome chapado foi conquistado graças a uma série de exercícios focados nos músculos abdominais. É claro que houve o auxílio luxuoso de tratamentos estéticos como drenagem linfática, massagens e os melhores produtos cosméticos disponíveis no mercado.

Gwyneth Paltrow: receitas e um pouco de polêmica

Vendedora de um Oscar de melhor atriz, presente em filmes de sucesso e dona de um cachê milionário, a atriz estadunidense Gwyneth Paltrow descobriu o rentável filão das dietas e dicas fitness após um revés médico. Durante as filmagens do primeiro “Homem de Ferro”, em 2007, Paltrow foi diagnosticada com anemia e carência de vitamina D. Os médicos prescreveram um tratamento onde ela precisaria suprimir diversos itens do cardápio, o que a deixava aparentemente sem muitas opções. De posse desse primeiro menu, ela se juntou a uma nutricionista que também fazia as vezes de chef de cozinha e ambas elaboraram diversas receitas que podiam ser feitas com os “alimentos permitidos” sem que as refeições se tornassem maçantes. Essa necessidade criou uma oportunidade de negócios: as receitas foram compiladas em um livro, chamado My father’s daughter.

O sucesso da empreitada editorial abriu espaço para um segundo livro, também co-escrito pela mesma nutricionista (Julia Turschen), chamado It’s all good, dessa vez alicerçado nas chamadas dietas desintoxicantes (detox), usando produtos eficazes mas caros e distantes da maioria dos fãs da atriz. Nem isso impediu o estrondoso sucesso do livro. Além das receitas, Gwyneth Paltrow também pratica exercícios físicos com uma regularidade ímpar: seis dias por semana, uma hora por dia, de acordo com orientações de Tracy Anderson, uma das personal trainers mais aclamadas por astros de Hollywood.

Recentemente, Gwyneth Paltrow envolveu-se em uma rusga com a NASA, a agência espacial. Ela é a presidente de uma companhia chamada Goop, que vende “produtos que energizam o corpo e a mente”, seja lá o que isso signifique. O site da empresa estava comercializando adesivos chamados “Body Vibes” que, segundo a descrição, “rebalanceava as frequências energéticas do corpo” e deveriam ser colados pelo corpo em locais pré-estabelecidos nas instruções por um mês. O problema é que eles promoviam o produto dizendo que o material era feito com matéria condutor de carbono usado em roupas espacias projetadas pela… NASA. A agência espacial não gostou da pseudociência envolvendo seu nome em um produto de eficácia, digamos, questionável e reclamou publicamente do mal uso do nome da companhia. Imediatamente após o “mal entendido” a menção à NASA foi removida do produto. As informações são do site IFLS.

Dieta dos Gracie: do tatame para sua mesa

Referência quando o assunto é MMA e jiu-jitsu para competição, a família Gracie possui uma fama que pode ser comparada à idolatria por quem pratica as diversas modalidades de luta usadas nos torneiros de Mixed Martial Arts. Tão famosa quanto os integrantes do clã é a dieta que eles seguem, pesquisada e desenvolvida pelo patriarca Carlos Gracie (1902-1994). A busca por um cardápio saudável não foi por motivos puramente estéticos; portador de diversas alergias que causavam fortes enxaquecas, inflamações pulmonares e gota, Carlos Gracie começou a estudar os efeitos dos alimentos sobre seu metabolismo.

O núcleo da dieta dos Gracie era evitar combinações que pudessem “envenenar” o corpo. O pH dos alimentos ingeridos tinha que permanecer o mais próximo da neutralidade possível, fugindo de associações alcalinas ou ácidas. Ainda segundo esses preceitos, misturar cereais era danoso; deveria-se priorizar o consumo de frutas; açúcar e gordura juntos não deveriam ser consumidos; chás e infusões similares podem ser tomados sem cerimônia, e sem açúcares também; e só se alimentar quando o estômago tiver se livrado das toxinas e dejetos da refeição anterior.

Embora muitos visse os preceitos da dieta dos Gracie como uma variante da dieta das combinações de Herbert Sheldon (uma das bases do já citado livro “Saúde Frugal”), não há um radicalismo vegano no cardápio dos Gracie. Outro alerta importante: para que se possa aderir a esse quase estilo de vida, é necessário o aporte de um nutricionista e de um treinador; esse regime é especialmente desenvolvido para atletas de alto rendimento, principalmente lutadores, e por isso alguns nutrientes podem tanto faltar como serem consumidos em excesso.

Dieta de Jesus: inspiração para a alma e para o corpo

Usar o termo “famoso” para Jesus Cristo parece ser um tanto herético à primeira vista, mas quando um nutricionista e pastor resolve unir seu profundo conhecimento bíblico com sua expertise em nutrição, pode-se dizer que foi criada uma dieta com aval de uma figuras religiosas mais proeminentes, aliada a uma observação histórica sobre os alimentos consumidos á época que podem ser replicados na era moderna.

Don Colbert, o pastor nutricionista citado acima, fez um apurado estudo sobre os hábitos alimentares descritos nos evangelhos (havia muitas passagens bíblicas que foram descritas em volta de uma refeição, sendo que a Última Ceia é a mais famosa delas) e detalhou alguns usos e costumes que poderiam servir de modelo para uma reeducação alimentar:

  • Comer porções pequenas;
  • Saborear os alimentos sem pressa e mastigando-os bem;
  • Nutrir o organismo com proteínas de alto valor biológico vindo de peixes, aves e caprinos (cordeiro, cabra);
  • Consumir carboidratos complexos e integrais e muitas frutas, além de beber vinho em porções moderadas.

Ou seja, Jesus Cristo também é um exemplo de reeducação alimentar, além de guia espiritual cristão. Muitos nutricionistas comparam os preceitos da chamada dieta de Jesus (Don Colbert não nomeou o regime assim por respeito, mas revistas e sites não possuem os mesmo pruridos e precisam de uma “marca”) com uma saudável mistura da dieta mediterrânea com a segunda fase da dieta de South Beach.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!