Comida árabe emagrece?

A comida árabe, ao contrário do consenso popular, é muito saudável e deve ser cogitada ao se montar uma dieta de baixa caloria.

13 de maio de 2015 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


A busca pelo corpo perfeito faz com que nos perguntemos coisas que, quando ditas em voz alta, pareçam tolices. Algumas mensagens vindas por e-mail questionam, após a velha história de terem visto ou ouvido isso em algum programa, revista ou site, se comida árabe emagrece.

Essa premissa apareceu provavelmente querendo validar a dieta apressada baseada nos dois mais famosos integrantes do cardápio árabe, o kibe e a esfiha. Pois rejubilem-se: existe a possibilidade de incluir comida árabe no cardápio e emagrecer com saúde.


Comida árabe: mais do que esfiha

Os imigrantes sírios e libaneses que aportaram em nosso pais foram os principais responsáveis pela difusão de diversos pratos da comida árabe que tornaram-se clássicos em botecos e restaurantes, devidamente adaptados e bem mais calóricos do que os originais.

Os pratos oriundos dos povos árabes em questão são bem mais saudáveis do que suas contrapartes abrasileiradas deixam transparecer.

Tendo como base alimentos frescos e naturais, temperos presentes, picantes e marcantes e o uso de carnes com baixo teor de gordura, a comida árabe como deve ser é feita assada ou grelhada, com pouco óleo em sua composição e confecção.

Muitos nutricionistas apostam em uma dieta que inclui diversos pratos da comida árabe graças ao baixo valor calórico deles.

carregando…


Componentes saudáveis da comida árabe

  • Verduras e legumes – os tradicionais pratos árabes, como o tabule, o charuto de folha de uva ou repolho e abobrinha recheada abusam de uma mescla vegetal altamente aprovada por 11 entre 10 nutricionistas.
  • Carnes com baixo teor de gordura – o uso de aves como o frango e o peru e a inclusão de carnes vermelhas magras de fontes como o cabrito e o carneiro fornecem proteína de alta qualidade e baixo valor calórico.
  • Grãos diversos – note que boa parte dos pratos da comida árabe contém grão-de-bico e lentilha. Quer as boas notícias? Os dois grãos são fontes de proteínas, vitaminas do complexo B, ajudam no controle da glicemia e do colesterol, controla a pressão alta e regula o intestino graças às fibras.
  • Frutas ricas em vitaminas e minerais – a herança árabe de comer tâmaras, figos ameixa, damasco e pistache incluiu uma gama invejável de nutrientes importantíssimos em qualquer dieta, como selênio, cromo, zinco e potássio.


Valor calórico de alguns pratos árabes

  • Charuto de folha de uva: 99 calorias.
  • Abobrinha recheada: 126 calorias.
  • Tabule: 138 calorias.
  • Arroz com lentilhas: 197 calorias.

Esses valores calóricos estão presentes em uma porção de 100 gramas. Se bem dosado em uma dieta elaborada com critério por um nutricionista, a comida árabe emagrece, sim! Viu como não sou apenas a detonadora de perguntas?

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!