Cuidado com os remédios para emagrecimento!

Os remédios para emagrecer existem, e consumi-los é relativamente fácil, não importa o que digam. Por isso cabe a nós alertá-los sobre os perigos que eles podem trazer à saúde.

02 de setembro de 2013 • Por Mariana, em Medicamentos


Muitas pessoas procuram em livros e na internet, através do Google, remédios para emagrecimento “milagrosos”, graças a relatos de amigos e parentes que exaltaram que determinado coquetel de remédios X ou Y deram certo ou são tiro e queda. Pois somos obrigados a dizer: não caiam nesta esparrela!

Remédios para emagrecimento só devem ser tomados depois de uma avaliação médica criteriosa – e por “avaliação criteriosa” queremos dizer análise laboratorial e sintomatológica do paciente – aliado a uma atividade física que libere naturalmente hormônios que ajudarão a potencializar os efeitos benéficos dos remédios. Algumas pessoas nem precisam de remédios.

Se ainda assim você acha que os remédios usados para emagrecimento não podem causar problemas, vamos listar aqui os mais usados e os riscos que eles causam.

  • Anorexígenos (femproporex, anfepramona): são inibidores de apetite usados em muitos “coquetéis de medicamentos”. Causam irritabilidade, insônia e aumento da frequência cardíaca, além de causar dependência.
  • Diuréticos (furosemida, hidroclorotiazida): retiram líquido do corpo e são utilizados em conjunto com remédios para combate à pressão alta. Por fazer o corpo desinchar dão a falsa sensação de perda de peso, mas podem causar desidratação.
  • Laxantes (fenoftaleína, sene): remédios para eliminação de fezes que podem fazer com que as pessoas incorram no mesmo erro dos usuários de diuréticos. A falsa sensação de leveza pode fazer com que o corpo perca, além de líquidos, vitaminas e sais minerais.
  • Hormônios da tireoide (T3 e T4 – as chamadas tiroxinas): quem sofre de hipotiroidismo , que é a falta de produção de hormônios da tireoide, precisa repor estes hormônios com a ingestão de remédios, que aceleram o metabolismo e propiciam a queima de gordura. Mas quem tem suas funções tireoidianas em perfeito funcionamento e se arrisca a tomar esses remédios, podem perder massa muscular e ter grandes chances de sofrer arritmias cardíacas.

O comércio de certos remédios para emagrecer foi proibido pela ANVISA, o que não significa que eles não estejam disponíveis. Resta a nós dar o alerta habitual: só consuma remédios sob severa prescrição médica. Ser saudável deve ser sua prioridade.

carregando…

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!