Diabetes – Tipos, causas e sintomas

A diabetes é uma doença perigosa e emite avisos muito sutis de sua ação nefasta. Conheça mais sobre esse mal e saiba como combatê-lo.

11 de novembro de 2016 • Por Mariana, em Comportamento, Destaques, Medicamentos


A relação entre diabetes, sobrepeso e obesidade é íntima e perigosa. Mas não se engane; pessoas magras também podem sofrer deste mal, por isso cuidar do níveis de glicemia é fundamental nos dias sedentários e mal nutridos em que vivemos.

Tratar a diabetes é cuidar de um importante fator para a qualidade de vida, e ao contrário do que muitos pensam, não é preciso ter uma vida limitada e sem sabor. Acrescentar atividades físicas e alimentos saudáveis incrementam o bem estar, consultar seu médico regularmente e saber com o que está lidando são os primeiros passos para encarar a diabetes de frente e vencê-la.

Tipos de diabetes mais comuns.

Diabetes tipo 2 – A forma mais frequente da doença, ocorre em pelo menos 90 por cento dos casos em pessoas adultas. É uma síndrome onde a resistência do corpo à insulina alia-se à diminuição da produção desse hormônio. Para piorar, a eficiência da insulina que chega à corrente sanguínea é baixíssima ou nula.

A diabetes tipo dois pode ser tratada com medicamentos orais, como a metformina, ou injetáveis.

Diabetes gestacional – É o aumento da resistência à insulina durante a gestação, cuja origem ainda não foi totalmente detectada. Se não for diagnosticada e tratada a tempo, esse tipo de diabetes pode prosseguir prejudicando a paciente após os nove meses de gravidez.

Diabetes tipo 1 – Essa é uma espécie menos frequente de diabetes e que ocorre em até 10 por cento dos pacientes adultos, geralmente por herança genética e/ou infecções causadas por vírus. Nela, o pâncreas, órgão responsável pela produção e secreção da insulina, não consegue mais produzir o hormônio porque o sistema imunológico considera tanto o pâncreas quanto a insulina inimigos, atacando-os.

Sintomas da diabetes

Por mais que digam que a diabetes é uma inimiga silenciosa, ela manda sinais inequívocos de sua ação em nosso organismo. Você e seu médico irão notar alguns sintomas mais ou menos evidentes. Eis alguns indícios.

Diabetes tipo 2 – fome e sede em excesso, feridas que demoram a cicatrizar, aumento de infecções renais e da pele, sensação de formigamento e dormência e perda de acuidade visual lenta e gradual.

Diabetes tipo 1 – Além de fome e sede exageradas, aumento da vontade de urinar, emagrecimento acentuado, mudanças de humor, principalmente nervosismo e períodos depressivos, cansaço.

A diabetes gestacional possui a mesma gama de sintomas citadas acima e requer acompanhamento criterioso durante o pré-natal.

Diagnóstico e controle da diabetes

Apenas o médico poderá determinar se um paciente tem diabetes, após uma bateria de exames laboratoriais e clínicos que podem incluir: nível de glicemia de jejum, hemoglobina glicada ou glicosilada, exame de curva glicêmica (análise da quantidade de açúcar no sangue em jejum e após uma carga oral de glicose), além da análise de hábitos alimentares e de estilo de vida.

A inclusão de remédios e insulina dependerá de cada caso devidamente analisado. Contudo, nenhum paciente fugirá da mudança, na maioria das vezes drástica, de cardápio e da inclusão de atividades físicas que eliminem o sedentarismo. A boa notícia é que hoje é muito mais fácil praticar essa reeducação alimentar sem prejuízo do prazer e do bem estar. Basta ter orientações médica e nutricional corretas.

No próximo texto, falaremos sobre mitos e verdades sobre alimentação para diabéticos.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.55
Total de Votos: 11

Diabetes – Tipos, causas e sintomas

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

O que você pensa disso? Vamos construir um debate!