Dieta da metade

Reduzir o que se come sem restringir alimentos é possível? Conheça a dieta da metade.

Existe alguma dieta da metade? Essa pergunta nos tem sido feita insistentemente pelas redes sociais, e-mails e pessoalmente. Tudo porque alguém ouviu falar de alguma celebridade que cortou ao meio o que comia e emagreceu quase que milagrosamente.

O advérbio “milagrosamente” atiça em nós, aqui do blog, uma pulga que nos faz pesquisar com muito afinco quaisquer regimes que prometem mundos e fundos. Vejamos o que há de concreto na tal dieta da metade.

Comer menos emagrece, mas…

É óbvio que comer menos irá promover perda de peso; afinal, quanto menos calorias ingeridas, menor a quantidade de energia que pode ser estocada. Contudo, é preciso saber o quê, onde e como diminuir a quantidade de comida a ser consumida.

Em primeiro lugar, não podemos prescindir dos nutrientes básicos à sobrevivência: carboidratos, proteínas e gorduras. Além deles, os chamados micronutrientes, como vitaminas e minerais, são essenciais para que o metabolismo possa transformar energia em vida e não em excesso de culote.

Tendo isso em mente, os próximos passos precisam seguir uma ordem saudável.

Conhecendo o que se come

Saiba quais as refeições que você faz regularmente; se tem o hábito de pular alguma; se suas emoções interferem em sua vontade de comer (ansiedade, nervosismo, impaciência, entre outros, são vorazes); e claro, o que você coloca no carrinho do supermercado e no carrinho ou sacola de feira.

Não é uma tarefa difícil. Todas nós nos alimentamos; basta prestar atenção ao que comemos e anotar isso de forma ordenada.

O médico é seu melhor amigo

NUNCA, NUNCA, comece quaisquer tentativas de dieta sem acompanhamento médico e nutricional. Faça um check-up total: exames de sangue, condição física, possíveis alergias e intolerâncias. Conheça a pirâmide alimentar e adapte-a à sua realidade.

Saiba reduzir sem restringir

O nutricionista é parte vital nesse processo. Não existem alimentos proibidos, segundo profissionais idôneos de saúde. Exitem as quantidades recomendadas para consumo de quaisquer alimentos.

Todos nos nutrientes, vitaminas e minerais devem estar presentes nas principais refeições. Sem exceção. a única coisa que vai diminuir são as porções de diversos tipos de alimentos. Geralmente os principais itens cortados pela metade são gorduras e carboidratos simples, mas não elimine nenhum nutriente completamente.

Não pule refeições

você deixa de tomar o café da manhã para emagrecer? Não janta para não acumular peso durante o sono? Esses mitos são responsáveis por quadros de anemia e desnutrição. Modifique os alimentos desses períodos, mas não deixe de alimentar seu corpo.

Mastigue mais!

Muitas de nós se orgulham em dizer que “beberam o almoço” graças às atribulações e à pressa. Isso é um erro. O corpo precisa saber que está sendo nutrido de forma correta quando saboreamos a comida de forma correta, mastigando-a bem e deixando-a pronta para ser absorvida pela corrente sanguínea.

Não é só isso. O cérebro precisa de tempo para reconhecer o alimento e liberar os hormônios da saciedade. Esse tempo é determinado (adivinhe) pela mastigação. Coma mais devagar e deixe o alimento saciar a fome com uma quantidade satisfatória.

Aumente as porções de frutas, verduras e legumes nas refeições

Um truque muito utilizado e bastante elogiado da dieta volumétrica é se fartar com legumes e verduras antes dos pratos ditos principais para promover saciedade. O segredo são as fibras alimentares, que preenchem o estômago sem superlotá-lo de alimentos calóricos.

E se você é adepta da sobremesa, não precisa se privar dela. Apenas troque doces por frutas em alguns dias da semana. Não é uma proibição, apenas uma substituição.

Capriche na escolha dos carboidratos

A dieta da metade se foca na troca de carboidratos simples (arroz branco, pães e biscoitos industrializados) por fontes de fibras. Massas e cereais integrais, leguminosas, sementes oleaginosas e outros alimentos que podem ser recomendados por nutricionistas. Aumenta-se a sensação de saciedade reduzindo-se as porções.

Mexa-se!

De nada adianta modificar hábitos alimentares e não queimar as calorias. Pratique mais atividades físicas. Elimine o sedentarismo aos poucos mas de forma contínua. Se posso usar a mim mesma como exemplo, desde que comecei a ir ao trabalho de bicicleta, eliminei alguns quilinhos e melhorei minha condição respiratória e cardíaca a olhos vistos.

Sim, é possível fazer uma dieta da metade. Basta saber como fazê-la, com o devido auxílio médico.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.71
Total de Votos: 7

Dieta da metade

Comente