Dieta da zona metabólica

Criada por Barry Sears, a dieta da zona metabólica determina a proporção ideal para manter o peso ideal em um corpo saudável. Descubra o que significa a razão 40-30-30.

24 de abril de 2014 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


As dietas, em última análise, buscam o delicado e fino equilíbrio entre o que alimenta e o que mantém o metabolismo ativo para que não engordemos. O bioquímico estadunidense Barry Sears acredita que esse equilíbrio pode ser alcançado com uma proporção: 40-30-30.

Apesar de parecer à primeira vista um amontoado de números sem sentido, essa relação de números é a base fundamental da chamada dieta da zona metabólica. Não falamos dela antes porque ela não é algo simples de ser explicado, não porque ela é complexa e intrincada, mas porque a tentação em simplificar a explicação é grande. Vamos por partes.

saudea-saude-coracao-frequencia-cardiaca-56823


Zona do equilíbrio hormonal

Barry Sears pesquisou durante anos os processos inflamatórios causados pela alimentação que, segundo ele, são responsáveis pela epidemia de obesidade que assola os Estados Unidos (e, por tabela, o mundo). As inflamações oriundas de alguns nutrientes poderiam ser responsáveis diretas por problemas como:

  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Problemas cardíacos;
  • Disfunções hormonais.

Uma das mais controversas conclusões que Sears chegou é que dietas com baixas taxas de gorduras e proteínas e grandes porções de carboidratos está terrivelmente equivocada. Esses cardápios destroem o que o doutor chama de zona metabólica onde o organismo trabalha de forma mais eficiente para manter o corpo funcionando e com peso ideal.


A proporção 40-30-30

Para evitar os picos de insulina que, sempre de acordo com o doutor Sears, promovem a inflamação que causa a obesidade e o descontrole hormonal, o organismo precisa se alimentar com porções rígidas de nutrientes para entrar em uma zona metabólica que permita a manutenção de um corpo magro, saudável e no auge da atividade física. As porções determinadas são:

  • 40 por cento de carboidratos;
  • 30 por cento de proteínas;
  • 30 por cento de gorduras.

Seguindo as proporções à risca, a zona metabólica estabiliza-se proporcionando maior energia e gasto calórico equilibrado


Exemplo de cardápio seguindo a zona metabólica

As refeições diárias devem ficar limitadas em uma quantidade de calorias específicas para ambos os sexos. Eis os valores médios para adultos:

  • 1200 calorias diárias para mulheres;
  • 1500 calorias diárias para homens.

A principal proposição da dieta da zona metabólica é o consumo de diferentes tipos de nutrientes em porções específicas, divididas em cinco refeições. Acompanhe.

Proteína – Uma porção do tamanho da palma de sua mão de qualquer tipo de carne.

carregando…

Carboidratos – O dobro da porção da proteína. Dê preferência às frutas, leguminosas como feijão e lentinhas, alimentos integrais e vegetais. Carboidratos com alto índice glicêmico devem ser limitados a pequenas porções.

Nos livros que o doutor Sears escreveu, ele alerta sobre alimentos que liberam glicose de forma muito rápida, o que favoreceria a produção de insulina e demais hormônios inflamatórios, como leite e derivados,

Gorduras, como na maioria das dietas, restringem-se ao mínimo, principalmente vindo de fontes como azeite, óleo de canola e abacate.


O que a dieta da zona metabólica propõe

Os objetivos que o doutor Sears quer alcançar com a dieta são basicamente dois:

  • Fazer uma espécie de reinício de programação genética do metabolismo, anteriormente acostumada com a proporção alimentar 40-30-30.
  • Equilibrar a produção de insulina fazendo com que o corpo produza mais glucagon, hormônio produzido pelo fígado que mantém os níveis de glicose sob controle.

Para resumir, o alimento não deve ser apenas fonte de calorias; deve também controlar o sistema hormonal.


Prós e contras da dieta da zona metabólica

Pesquisadores independentes geralmente apontam diversas benesses provocadas pela dieta, como perda de peso efetiva e saudável e diminuição dos níveis de colesterol. Apesar de não estabelecer medidas precisas para as porções (afinal, a palma da mão de uma pessoa não é exatamente uma unidade reconhecida pelo sistema internacional de medidas), a valorização de alimentos saudáveis como verduras e legumes é ovacionada por muitos.

Contudo, muitos colegas do doutor Sears alertam sobre a baixa quantidade de carboidratos prescrita pela dieta da zona metabólica, além de certas liberdades gastronômicas propostas nos livros, como o consumo de sorvetes com alto teor de gordura (segundo Barry Sears, a gordura diminui a taxa de absorção de carboidratos no organismo).

No cômputo geral, a dieta da zona metabólica é segura e saudável até certo ponto. Contudo, não siga nenhuma dieta sem supervisão médica.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!