Dieta HCG

A injeção de um hormônio que supostamente ajuda a emagrecer é uma maneira saudável de perder peso? Conheça a dieta HCG e tire suas conclusões.

14 de fevereiro de 2017 • Por Mariana, em Dicas e Dietas, Medicamentos


Evitamos falar dietas da moda aqui no blog porque elas parecem ter entrado em um período de recesso. Isso não significou o fim delas, contudo; uma leitora nos mandou via Twitter uma pergunta bastante sucinta: “a dieta HCG funciona?”.

Pedimos maiores detalhes sobre o que ela nos questionava e ela nos mandou um e-mail com diversos links sobre a suposta eficácia da dieta. Num deles, havia a promessa de perda de pelo menos 800 gramas por dia.

Como todos os nutricionistas que conhecemos não recomendam emagrecimentos tão rápidos, decidimos pesquisar melhor a nova dieta da moda.

O que é a dieta HCG?

 

O nome estranho atrai a atenção inevitavelmente, pois dá um ar científico à coisa toda. A sigla é o acrônimo em Inglês para gonadotrofina coriônica humana, o hormônio secretado pela mulher grávida.

Após a fecundação do óvulo, o embrião vai até o útero, e lá começa  a produzir o HCG, que faz com que o ovário comece a secretar estrogênio e progesterona.

As duas substâncias impedem uma nova ovulação e a menstruação, reforçando também as paredes do útero para que o embrião se desenvolva.

E o que o hormônio da gravidez tem a ver com perda de peso? Nos anos 1950, um endocrinologista britânico notou que alguns pacientes que seguiam uma dieta de baixa caloria perdiam peso rapidamente quando se injetava o HCG na corrente sanguínea.

Por décadas os manuscritos do médico foram relegados ao esquecimento até que no final da década passada um livro exaltando a dieta HCG foi lançada.

Coincidentemente, o cerco contra os remédios supressores de apetite fechou violentamente, o que fez com que muitos adotassem o método de injeção de hormônio como alternativa “saudável” de emagrecimento.

Princípios da dieta HCG

Segundo os fomentadores da dieta, o segredo está em uma das funções do hormônio HCG.

carregando…

A substância ajuda o organismo a usar as reservas de gordura para alimentar o feto durante a gravidez, por isso ao injetar HCG no sangue, o corpo é “enganado” e supostamente começa a queimar gordura para manter a “gestação” indicada pela presença do hormônio.

Ainda de acordo com quem desenvolveu a dieta HCG, o hormônio diminui a sensação de fome, além de aumentar a produção de testosterona, que reconhecidamente aumenta a massa muscular magra.

Acompanhe o passo a passo da dieta HCG aplicada em clínicas de Los Angeles:

  • Durante 26 dias, injeta-se HCG três vezes ao dia.
  • Nos dois primeiros dias, é permitido o consumo de tudo o que se comia antes. Essa seria uma “fase de adaptação”.
  • A partir do terceiro dia, limita-se o consumo de calorias a 500 por dia. Isso mesmo, apenas 500 calorias por dia. Açúcar e carboidratos também são cortados, além de atividades físicas intensas.

O tratamento com todas as doses de HCG pode chegar a 1000 dólares.

Prós e contras da dieta

Primeiro, o mais importante: não existem comprovações científicas sérias sobre a eficiência dessa dieta. O hormônio HCG é liberada tanto pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Nacional) quanto pelo FDA estadunidense para TRATAMENTO DE INFERTILIDADE.

E qualquer dieta restritiva faz o organismo perder peso, ainda mais quando o carboidrato é sumariamente eliminado. Quem se submeteu à dieta HCG reportou fraqueza e falta de energia para exercer atividades cotidianas, sintomas muito comuns à desnutrição.

Perder quase um quilo por dia é severamente desaconselhado por médicos sérios, que sempre recomendam perdas semanais constantes, mudanças de hábitos alimentares e atividades físicas. Os únicos beneficiados com a dieta HCG são os que comercializam as caras injeções do hormônio.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!