Dieta ortomolecular

Eliminar radicias livres, desintoxicar e nutrir o corpo de forma eficiente. Esses são os preceitos da dieta ortomolecular.

03 de março de 2017 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


Muito feita e alardeada entre famosos, a dieta ortomolecular ganha adeptos graças à aparente simplicidade de seus preceitos: garantir o equilíbrio do organismo através da alimentação e de eventuais suplementação de vitaminas e minerais.

Quando uma celebridade afirma que perdeu “tantos” quilos graças à dieta ortomolecular, muitas sequer questionam o porquê desta perda e procuram supostas receitas e dietas prontas. Eu, escolada que sou graças diversos erros cometidos em nome do emagrecimento, resolvi ir um pouco mais além.

 

O que é a dieta ortomolecular

A dieta ortomolecular vem, evidentemente, de pesquisas feitas pela chamada medicina ortomolecular (ou prática ortomolecular, como sancionado na Resolução 1500/98 do Conselho Federal de Medicina), e prega a desintoxicação do organismo e a consequente reposição de nutrientes em falta, preferencialmente através da alimentação e de eventuais suplementos.

A desintoxicação visa eliminar do corpo os chamados radicais livres, agentes causadores do envelhecimento celular, causados pela ingestão de bebidas alcoólicas, cigarro, excesso de consumo de gordura animal e poluição, dentre outros vetores. A reposição mineral e vitamínica procura dar ao corpo nutrição e vitalidade. Tanto uma quanto a outra são alcançados através de uma dieta rigorosa.

Como é a dieta ortomolecular

A dieta ortomolecular baseia-se nas carências nutricionais individuais e desenvolve um cardápio de acordo com as necessidades de cada um, seguindo alguns pilares fundamentais:

carregando…

  • Os principais ingredientes da dieta ortomolecular são os chamados alimentos antioxidantes, que ajudam a eliminar os temidos radicais livres, como frutas, legumes e verduras fresquíssimos (alimentos muito maduros ou murchos perdem grande parte do potencial antioxidante), alimentos ricos em minerais como selênio, cromo e zinco, proteínas magras e carboidratos integrais.
  • Aumentar muito o consumo de água, para que o sistema renal trabalhe pesado na eliminação das toxinas através da urina.
  • Diminuir drasticamente ou mesmo eliminar o consumo de comidas industrializadas de qualquer natureza.

Como fazer a dieta ortomolecular

Como dito no parágrafo anterior, a dieta ortomolecular é pessoal. Cada pessoa possui carências específicas e necessidades alimentares próprias. Uma consulta com um médico especializado em medicina ortomolecular é fundamental, pois ele pedirá exames laboratoriais que determinarão quais vitaminas e minerais seu corpo precisa.

A dieta ortomolecular emagrece?

Como ela é muito rigorosa e fundamentada em alimentos saudáveis, a perda de peso é um efeito quase natural. Além disso, a reposição de vitaminas e minerais também aumenta a disposição e o ânimo da pessoa (um dos objetivos da medicina ortomolecular é aumentar os níveis de serotonina, o hormônio do bem estar, na corrente sanguínea) faz com que a pessoa tenha mais vontade de praticar exercícios e sair do sedentarismo.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!