Dieta para manter o peso

O equilíbrio nutricional para manter o peso é uma das mais duras tarefas de uma dieta. Conheça alguns macetes simples para que essa tarefa seja facilitada.

19 de janeiro de 2015 • Por Mariana, em Alimentos, Dicas e Dietas


Geralmente é muito mais difícil manter o peso do que perdê-lo. Os afortunados que conseguem essa verdadeira façanha não usam de nenhuma “técnica ninja” de manutenção de forma e peso.

Na maioria das vezes bastam uma dieta adequada aliada a uma atividade física regular. Mas isso você já está capilarmente desprovida de saber; o que você quer mesmo é uma dieta para manter o peso e estamos conversadas, não é? Pois calma. Tudo tem um preço.


Que peso, afinal, devo manter?

O sonho de qualquer mulher que se preze é dizer com todas as letras aquela famosa proporção entre os centímetros e a o peso, como por exemplo “tenho 1,80 metro e 79 quilos”.

Infelizmente nem todas podem ou conseguem ter o tempo para manter uma disciplina que permita essa bem vinda equação. Por isso há duas respostas possíveis para a pergunta do título:

  • Se seu peso segue os padrões considerados saudáveis pelos médicos, tendo como base a proporção acima ou o IMC – Índice de Massa Corporal – dentro dos limites do chamado peso ideal, basta continuar sua provavelmente saudável rotina.
  • Se, por outro lado, sua massa corporal insiste em dançar entre o sobrepeso e a quase obesidade, o peso a ser mantido é aquele em que não haja ganho de gordura, o principal vilão de qualquer dieta.

 

carregando…


Existe uma dieta para manter o peso?

Sim, ela existe e deve ser determinada por um profissional capacitado após uma criteriosa análise clínica. Mas para não dizer que sou “a chata do consultório do nutricionista”, eis algumas atitudes benéficas que podem tornar-se uma dieta para manter o peso informal:

  • Aumente o consumo de frutas, legumes, vegetais e grãos integrais.
  • Diminua drasticamente ou elimine de vez os embutidos e laticínios muito gordurosos e ricos em sal.
  • Acrescente proteínas magras ao cardápio, como carnes bovinas consideradas nobres, peixes e frango sem pele.
  • Meça a quantidade de calorias que seu corpo precisa para manter o metabolismo sem desnutri-lo. Ah, quem fará essa aferição é o médico, viu, espertinha?
  • Aumente o consumo de minerais e vitaminas que auxiliam no emagrecimento, como o cálcio, o zinco, as vitaminas K, A, D, E e o complexo B, entre outras mais específicas para seu caso.
  • Mude o modo de preparo dos alimentos do dia a dia. Troque as frituras por assados ou cozidos no vapor.
  • Não se culpe quando der eventuais escapadelas calóricas. Elas não são proibidas, apenas controladas. Permita-se um ou outro regalo mais pesado uma vez por semana ou mesmo por mês, caso você se adapte bem à reeducação alimentar.
  • Saiba gastar as calorias ingeridas de forma eficaz. Programe atividades físicas que mesclem prazer e queima de calorias de forma equilibrada.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!