Dietas nocivas podem agravar quadros de depressão feminina

Na ânsia de alcançar objetivos relacionados à perda de peso, mulheres com tendência à depressão podem estar agravando muito mais o seu estado, sem saber.

16 de julho de 2015 • Por Mariana, em Comportamento, Destaques


A busca pelo peso ideal e o corpo perfeito é muito mais frequente entre as mulheres do que entre os homens, provavelmente em função das pressões que a sociedade impõe diariamente nos meios de comunicação e nas oportunidades de convivência entre pessoas.

As mulheres podem ser também as vítimas mais frágeis do efeito potencializador da depressão que têm as dietas insalubres (que não são saudáveis).


Dietas gordurosas e com altas doses de açúcar prejudicam o humor

Pesquisas feitas na Universidade de Melbourne, na Austrália – uma das referências em ensino superior no mundo – relataram a ligação entre dietas ricas em gorduras e açúcar e incidência de depressão entre mulheres.

Durante dez anos, os médicos responsáveis pela pesquisa acompanharam a rotina alimentar de 1046 mulheres, avaliando os efeitos psiquiátricos da dieta das pacientes.

DEPRESSÃO FEMININA

Após os dez anos de avaliação, 925 mulheres não sofreram qualquer desordem depressiva, enquanto 121 tiveram quadros de ansiedade e/ou depressão acentuados.

Todos os fatores que poderiam levar à depressão foram devidamente apurados entre as pacientes com quadro depressivo acentuado, como idade, peso corporal, educação, atividade física, consumo de álcool e cigarros e condição socioeconômica.

A associação entre oscilações de humor e alimentação apareceram da seguinte forma:

carregando…

  • 50 por cento das mulheres que tiveram quadros depressivos alimentavam-se basicamente com a chamada “dieta ocidental”, composta de hambúrgueres, batata frita, pão branco e alimentos com altas taxas de açúcar e gordura.
  • Em contrapartida, houve redução de 30 por cento nos casos de ansiedade e depressão entre as mulheres que seguiam a dieta australiana “tradicional”, que contém alimentos integrais, frutas, vegetais e carnes magras, como peixe e carneiro.


Conclusões iniciais

Embora aparentemente haja uma ligação incipiente entre distúrbios mentais que levam à depressão e má alimentação, os pesquisadores dizem que ainda é cedo para afirmar que esse vínculo é certo.

Quando houve ajustes de dietas entre as pacientes que sofreram com ansiedade ou depressão, a associação entre dieta saudável e boas condições mentais obteve números irrisórios.

Contudo, a ligação entre certos alimentos e o humor é reconhecido em casos específicos. Diversas pesquisas identificaram o elo entre o bom humor e consumo de determinadas substâncias. Veja as mais recentes:

  • O chocolate com alto teor de cacau ativa a serotonina, o neurotransmissor responsável pelo bem estar, e a leptina, o hormônio da saciedade.
  • Consumir carboidratos à noite aumenta a produção da melatonina, o hormônio do sono. Sabe-se que uma boa noite de sono ajuda tanto no emagrecimento quanto no humor.
  • O selênio, mineral presente em grãos como a castanha-do-pará, tem papel importante na prevenção das doenças degenerativas do cérebro.
  • Verduras verde-escuras possuem minerais importantes para o metabolismo em geral e contra o envelhecimento precoce em particular.
  • Alimentos roxos mantêm o sistema cardiovascular saudável.

Manter uma dieta saudável mantém muito mais do que o peso em níveis aceitáveis; a alimentação correta ajuda a evitar quadros depressivos e de ansiedade que, na mais otimista das hipóteses, pode levar a quadros de distúrbios alimentares e comportamentais. Consulte sempre um nutricionista para a elaboração de um cardápio saudável e mantenha uma rotina de atividades físicas.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!