Dietas radicais: mitos e verdades

Evite ser radical e escolha sempre uma dieta saudável se quiser emagrecer e manter o peso ideal.

Buscar uma reeducação alimentar é algo muito muito mais sério do que simplesmente fazer dietas, principalmente as chamadas restritivas. Passar fome não é o objetivo de nenhum regime que se proponha saudável e idôneo.

Perder peso comendo apenas salada e evitando nutrientes importantes até emagrece a curto prazo, mas os efeitos danosos à saúde e ao bem estar são enormes. Conheça alguns mitos que rondam as dietas que precisam ser abolidos em nome de sua saúde e de sua sanidade.

Eliminar carboidratos emagrece

As hoje famosas dietas low-carb preconizam o carboidrato como uma espécie de vilão a olhos leigos. Contudo, cortar radicalmente quaisquer fontes de carboidratos é temerário.

Numa alimentação saudável, cerca de 50% do valor calórico do que se consome precisa vir do carboidrato. O cérebro precisa dessa fonte energética para funcionar, o corpo necessita dessa energia para que os músculos possam realizar suas funções a contento.

O que não se pode é exagerar, comendo algo como cinco pães franceses no café da manhã. Seguindo dietas balanceadas, é possível manter os carboidratos de forma inteligente e balanceada.

Consumir muitos alimentos que ajudam a emagrecer é o ideal

Não, não é. Produtos como chia, linhaça e óleo de coco, entre outros, são importantes mas não são milagrosos. Inclui-los em uma dieta saudável é aceitável, mas o excesso de consumo, como tudo na vida, é prejudicial a médio e longo prazo.

Não espere efeitos imediatistas de alimentos saudáveis. Eles só continuarão sendo benéficos se houver uma reeducação alimentar por trás de sua inclusão.

O segredo está na salada!

Empanturrar-se de salada não significa que você está no caminho certo. Quem aposta que só comendo vegetais e legumes irá emagrecer de forma saudável está apostando no cavalo errado.

Muitos nutrientes importantes ficam de fora desse cardápio aparentemente benéfico. E quando o corpo não recebe a nutrição adequada, o resultado é desastroso: fome, apatia, sono, perda de massa muscular, metabolismo desregulado, que pode ser vetor de doenças e anemias. A salada deve fazer parte de uma refeição balanceada, e não ser a refeição em si.

Passar fome ajuda a emagrecer

NÃO. Se o corpo fica sem alimentos por mais de três horas, podem acontecer duas coisas: hipoglicemia e acúmulo de gordura. Quando há uma redução dos níveis de açúcar no sangue, podem ocorrer desmaios, fraquezas súbitas, perda de concentração.

E tem mais: quando o organismo passa fome, ele tende a acumular gordura para garantir energia por achar que o jejum pode se prolongar. Assim, o metabolismo fica mais lento e queima menos gordura, o que faz com que engordemos. Mantenha o corpo sempre alimentado.

Nunca mais comer doces!

Radicalismo contra os doces não é saudável e torna a dieta insuportável, chata mesmo. O segredo é a moderação e a inteligência. Comer pequenas porções ou optar por doces que podem auxiliar a dieta, como o famoso chocolate amargo.

Um dos segredos para se comer doces e se satisfazer com as pequenas porções é ingeri-los depois de ter comido proteínas, como carnes e leites. Assim, o corpo não sofre uma sobrecarga de energia (que pode levar ao acúmulo de gordura) e você não se priva de se deliciar com seu doce preferido.

Consumir mais alimentos light e diet

Um alimento é considerado light ou diet quando reduz algum nutriente, mas nem sempre isso significa redução de calorias. Há alimentos com esses rótulos que são verdadeiras granadas calóricas.

Às vezes a redução é no teor de sal, ou de açúcar, ou mesmo de algum tipo de gordura; contudo, as calorias podem estar lá, esperando que sejam consumidas sem critério e culpa graças à magia do rótulo. Consulte seu nutricionista.

Avalie este conteúdo!
Avaliação média: 4.8
Total de Votos: 14
Dietas radicais: mitos e verdades

Comente