A Dieta do Mediterrâneo

Um estilo de vida em forma de cardápio. Assim é a dieta do Mediterrâneo, que é muito mais uma lição de equilíbrio do que simplesmente uma coleção de receitas saudáveis.

19 de agosto de 2014 • Por Mariana, em Dicas e Dietas


Uma das dietas que mais chamam a atenção dentro da comunidade médica é na verdade um estilo de vida que tornou-se alvo de estudos clínicos desde meados do século passado.

Ao observar o estilo de vida das pessoas que moram na região do Mar Mediterrâneo, como a Grécia, Itália, Espanha e Portugal, alguns pesquisadores notaram a extraordinária boa forma destes europeus em particular, aliada à longevidade dos cidadãos.

Não raro, muitos chegavam aos 90 anos sem doenças cardiovasculares e demências. Qual o segredo dos povos mediterrâneos? Atividades físicas regulares e uma alimentação rica em nutrientes benéficos. Este cardápio informal foi chamado de Dieta do Mediterrâneo e tomou de assalto o mundo que busca emagrecer com saúde.

Dieta_Mediterranea


As bases da dieta do Mediterrâneo

A Dieta do Mediterrâneo tem como alimento principal o azeite de oliva extravirgem. Isso mesmo. O consumo moderado de azeite, tão comum entre os europeus mediterrâneos, ajuda a elevar os níveis de HDL, o colesterol de alta densidade, que previne doenças cardiovasculares, e também possuem propriedades anti-inflamatórias.

E, ironia das ironias, duas colheres de sopa de azeite por dia podem ajudar a diminuir a gordura abdominal, chamada de gordura visceral, que é a causadora de problemas como aumento dos níveis de triglicérides e colesterol ruim e esteatose hepática, que é o acúmulo insalubre de gordura no fígado.

Além do azeite, a Dieta do Mediterrâneo é pródiga em alimentos chamados funcionais. O consumo de carnes vermelhas e leite é baixíssimo ou quase nulo em alguns países.

Come-se muito peixe, fonte do ácido graxo Ômega 3, de antioxidantes e de colesterol bom (o já citado HDL), além de uma gama imensa de frutas, verduras, legumes e alimentos, como alguns citados abaixo:

  • Tomate;
  • Alho;
  • Cebola;
  • Frutas secas
  • Queijo branco;
  • Cereais integrais e sementes;
  • Suco de uva e vinho tinto


carregando…

Os benefícios da dieta do Mediterrâneo

dieta_mediterranea_21

O prestigioso New England Journal of Medicine  publicou uma extensa pesquisa sobre a dieta do Mediterrâneo feita na Grécia buscando a ligação entre a longevidade e boa saúde dos povos mediterrâneos (além da Grécia, Espanha, Portugal, Itália e França) e sua alimentação.

Descobriu-se que os ingredientes da alimentação mediterrânea possuem inúmeros nutrientes benéficos. Acompanhe.

  • Óleos ricos em ácidos graxos Ômega 3 e 6, que produzem bom colesterol e livram os vasos sanguíneos de placas de gordura;
  • Minerais essenciais ao bem estar, como selênio, ferro, fósforo, potássio, cálcio e magnésio entre outros;
  • Antioxidantes poderosos que previnem e eliminam o envelhecimento celular;
  • Carboidratos complexos, que ajudam no trato da flora intestinal.

Ainda de acordo com a pesquisa, quem se alimenta regularmente com a dieta do Mediterrâneo tem 24% menos possibilidade de contrair câncer e 33% menos chance de contrair doenças cardíacas, além de evitar doenças degenerativas como Alzheimer e Parkinson.

A Dieta do Mediterrâneo, embora saudável, não faz milagres sozinha. Os europeus mediterrâneos mantém uma rotina de atividades físicas regulares também, e nem precisam fazer grandes esforços para tanto, já que moram em locais geograficamente íngremes e que demandam longas subidas e descidas. E vale sempre lembrar: não adote dietas sem consultar um médico e um nutricionista.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

1 comentário

  • yverat • 14/07/2014

    gostaria de receber informaçã actualizada sobre a dieta Michel Montegnhac e sobre a dieta Mediterrânica.

    Obrigada,
    YR

    Responder

Deixe seu comentário!