Os efeitos do café na dieta

O café é uma bebida tão apreciada quanto temida, graças às inúmeras pesquisas que ou exaltam ou execram seu consumo. O que existe de concreto sobre a segunda bebida mais consumida no mundo?

04 de setembro de 2014 • Por Mariana, em Alimentos, Dicas e Dietas


Graças à sua popularidade, o café é alvo de constantes pesquisas e descobertas que ora endeusam, ora satanizam a bebida (segundo pesquisas, o café é a segunda bebida mais consumida do mundo, só perdendo para a água).

Esse constante escrutínio sobre o café faz com que muitas tenham dúvidas sobre os efeitos sobre o organismo, como os efeitos sobre a obesidade, sobre o sistema nervoso e digestivo, entre outros.

São tantas informações e mitos que esclarecimentos baseados em fontes seguras são necessários de vez em quando, principalmente quando há novos resultados de pesquisas comprovadamente sérias. Começaremos pelo básico.

198201382810

O café e seu principal componente

O café é rico em um alcaloide chamado cafeína, que atua no sistema nervoso central (cérebro e medula) como estimulante, além de agir sobre o sistema digestório, aumentando a produção de suco gástrico.

Por agir diretamente sobre o sistema nervoso, a cafeína causa dependência física na forma de fadiga em caso de abstinência.

A famosa “sensação de alerta” que o café proporciona nada mais é do que o fim que a falta da cafeína dá ao organismo.

Embora considerada quimicamente como um psicotrópico, a cafeína não causa os mesmo efeitos maléficos das drogas ilegais.

Pelo contrário: pesquisas capitaneadas pela universidade de Harvard indicam que tomar café moderadamente (entre duas e quatro xícaras diárias) faz bem ao coração, diminuindo a incidência de infartos.

E não só isso: a cafeína é capaz de produzir substâncias que diminuem a dor causada por esforços físicos, como os feitos em exercícios, segundo estudos da universidade de Illinois. Ou seja, quem é adepto das atividades físicas para eliminar peso pode se beneficiar daquela xícara de café tomada alguns instantes antes da malhação.

Calorias presentes no café

Quem adora contar calorias pode ficar tranquila: uma xícara de 50 ml de café sem açúcar contém irrisórias 2 kcal. Se quiser adoçar com uma colherinha de açúcar irá consumir cerca de 30 kcal.

Os adeptos do uso de adoçantes incluem pouquíssimas calorias na bebida: de valores ridículos, centesimais, para quem usa edulcorantes à base de ciclamato e sacarina, a 3 kcal para quem opta pelo aspartame.

carregando…

b1668a48b5542e998ba48b776d8eeedf

Café pode fazer mal?

Os malefícios dependem da quantidade do que se consome (usando uma de minhas citações favoritas, a diferença entre remédio e veneno está na dose). Café em excesso pode, sim, causar gastrite, além de ajudar a elevar os níveis de cortisol no organismo.

Para quem não se lembra, o cortisol é o temido hormônio do estresse. Portanto, beber café pode ser bom, desde que não se tome dois litros ou mais por dia, ou se a pessoa sofrer de hipersensibilidade à cafeína.

Novas descobertas sobre o café

A universidade de Harvard descobriu recentemente que os efeitos da cafeína sobre o sistema nervoso central podem ser mais benéficos do que se imaginava. Além de ser naturalmente estimulantes, eles ajudam a produzir neurotransmissores fundamentais para o bom funcionamento do cérebro.

Pequenas doses de café ajudam a sintetizar serotonina, dopamina e noradrenalina, fazendo com que a bebida tenha leve efeito antidepressivo, eliminando inclusive pensamentos obsessivos que podem levar a comportamentos suicidas.

Contudo, uma das pesquisas mais celebradas é a feita no Havaí, graças a um programa de prevenção de doenças cardíacas em Honolulu feito por 30 anos, em uma população de 8004 pessoas.

Quem consumiu café com frequência teve menor risco de desenvolver o temido mal de Parkinson, doença neurodegenerativa que causa morte ou deficiência dos neurônios. O resultado da pesquisa foi publicado no prestigiado Journal of American Medical Association.

Por mais animadoras que essas novas pesquisas sejam, ter cautela com o que se consome ainda é de fundamental importância. Faça exames periódicos para saber se o café será benéfico ou não ao seu organismo.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!