Emagrecer dançando funk

O ritmo cada vez mais popular do funk é o gatilho perfeito para quem deseja incluir atividades físicas na rotina dançando.

22 de fevereiro de 2015 • Por Mariana, em Comportamento, Dicas e Dietas


Antes de entrarmos no mérito da questão que nos interessa, vamos deixar algumas coisas bem claras. Quando recebi mensagens perguntando o quanto é possível emagrecer dançando funk, respirei fundo e me concentrei nos benefícios da dança como um todo e desta modalidade de ritmo que muitos chamam de dança de rua.

Como esse é um blog que exalta o emagrecer com saúde e não um portal sobre música, pretendo apenas exortar nossas leitoras a usar a dança como coadjuvante da eliminação de calorias. E se alguém quer emagrecer dançando funk, faça.  Mas não me chame.


Funk, pancadão e os movimentos da dança

O assim chamado funk, também conhecido como pancadão (uma vertente do Miami Bass, criado pela comunidade negra desta cidade estadunidense. Sim, sei do que falo), criou um estilo de dança de alto impacto, que exige da dançarina resistência aeróbica e força muscular.

A estrutura rítmica do pancadão permite movimentos repetitivos semelhantes aos feitos em academias, embora sem o mesmo rigor espartano de um treino supervisionado.

O que faz com que muitas consigam emagrecer dançando funk é o fator “diversão” envolvido, pois reunir amigas e colegas em uma festa tem um efeito mais agregador do que ficar sozinha praticando uma série de repetições aeróbicas ou anaeróbicas em uma academia.

carregando…


Por que é possível emagrecer dançando funk?

  • Alguns passos do funk exigem flexão constante das pernas, o que fortalece os músculos das coxas e, por tabela, do abdome, principalmente os músculos abdominais oblíquos.
  • Durante alguns destes movimentos, os glúteos são muito exigidos (principalmente quando dançam funks do MC Catra…), reforçando-os e auxiliando os músculos das costas por tabela, importantes para a definição da postura.
  • Quando se dança o funk de maneira ritmada e contínua por uma hora, pode-se eliminar até 600 calorias, dependendo do metabolismo de cada uma – há dançarinas que perdem até 1000 calorias.
  • Conscientes do gasto calórico da dança, muitas academias incorporaram o funk nas aulas de ginástica aeróbica. Assim como outros ritmos que ganharam as academias, o gasto calórico e a melhora da resistência cardiorrespiratória são visíveis.

Dançar é uma maneira divertida de emagrecer, e quem gosta de se requebrar até o chão, chão, chão dançando funk aproveita para detonar a gordura acumulada e transformá-la em massa magra e forte. Aproveitem bem os benefícios do funk para emagrecer. Mas repito: não me chamem.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!