Emagrecimento e efeito sanfona

Um dos pesadelos recorrentes de quem se submete à dietas e mudanças de hábitos é o efeito sanfona, que pode ser derrotado se tomadas algumas providências.

14 de junho de 2014 • Por Mariana, em Comportamento, Dicas e Dietas


Há um fantasma presente em qualquer dieta ou tratamento para emagrecer: o efeito sanfona. Tanto é assim que não é incomum a ligação entre emagrecimento e efeito sanfona feita por profissionais preocupados com o bem estar de seus pacientes.

Saber o que é, como se instala e o que pode ser feito para combater é uma das primeiras metas a ser tomadas quando uma pessoa propõe-se a perder peso e não encontrá-lo nunca mais.

O que é efeito sanfona

Conhecido pela comunidade médica como ciclismo de peso, e não usado na linguagem corrente para que não se confunda com o esporte, o efeito sanfona nada mais é do que o ciclo de perda rápida de peso, seguida do ganho dos mesmos quilos, sempre com o acréscimo de mais alguns. As causas são nossas velhas conhecidas:

  • Dietas extremamente restritivas, que causam picos de fome.
  • Vida sedentária, principalmente quem trabalha em setores administrativos e com pouca movimentação.
  • Estresse, o vilão da vida moderna.

O que causa o efeito sanfona?

O efeito sanfona é uma resposta dos nossos hormônios às constantes ausências de alimentos e nutrientes causadas pelas dietas sem critério. Acompanhe.

  • O primeiro hormônio que entra em parafuso é a leptina, que causa saciedade mas não é acionada graças a períodos longos sem alimentos.
  • O segundo, e terrivelmente mais importante, é a grelina, o hormônio da fome. Quando o corpo fica sem alimento, o estômago ordena à grelina que a fome venha, já que a possibilidade de jejum pode significar a morte. Daí vem os temidos e quase inevitáveis picos de fome, que fazem com que o consumo de alimentos calóricos aumente.

 

carregando…

Quais os efeitos colaterais do efeito sanfona?

Os danos à saúde causadas pelo emagrecimento e efeito sanfona variam, mas geralmente influem negativamente nas taxas de obesidade, na hipertensão arterial, na respiração (casos de apneia do sono são mais comuns em quem entra na espiral do efeito sanfona) e nos efeitos psicológicos danosos, como a depressão.

É possível desatar emagrecimento e efeito sanfona?

Sim, e os métodos são conhecidos por todas nós – mesmo porquê, vivo repetindo isso aqui no blog:

  • Eliminar o sedentarismo de forma contundente, praticando atividades físicas que liberem maior quantidade de serotonina.  A combinação entre atividades aeróbicas e musculares ativa a circulação, aumenta o tônus muscular e faz com que a massa magra ative o metabolismo.
  • Mudar os hábitos alimentares, incluindo alimentos que saciem, nutram e não incorporem mais calorias do que necessário a manutenção da vida.
  • Cuidar do peso com o mesmo zelo com que você cuida do seu cabelo. Exagero? Duvido que você deixe seus cabelos com pontas duplas, desidratado e sem cuidados. Pois use o mesmo rigor ao aferir seu peso. E tenha metas realistas, mas persistentes.

Cuidar do emagrecimento e do efeito sanfona pode parecer uma tarefa ingrata e inglória, mas pense que sua saúde vale o investimento. E nunca tente fazer isso sozinha. Peça ajuda ao seu médico e nutricionista e entre em um grupo de pessoas com objetivos comuns. Perder peso (e não achá-lo mais em nenhuma geladeira) é uma meta nobre.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!