Emagrecimento Rápido e Flacidez

Quem emagrece rápido ou muito rápido está sujeito a um problema que pode ser bastante angustiante: a flacidez. Descubra as implicações desta condição que pode ser um problema tão grave para a autoestima quanto o sobrepeso, e como combatê-la eficientemente.

03 de maio de 2014 • Por Mariana, em Assuntos Diversos


Quando se trata de emagrecer, todo mundo quer encontrar uma fórmula mágica capaz de fazer com que a pessoa de um dia para o outro fique “linda” (leia-se: fique adequada ao padrão de beleza imposto pela mídia), sem sacrifícios ou perdas.

Na verdade, a questão é que as pessoas em geral não querem emagrecer, mas sim querem ser emagrecidas, como se algum agente externo à própria vontade do indivíduo (uma pessoa, algum medicamento, uma cirurgia) tivesse o poder para fazer uma mudança que só ocorrerá e será efetiva se for acompanhada da atitude de querer e estar preparado para tudo relacionado ao emagrecimento.

Já escrevemos bastante sobre esses aspectos aqui mesmo, e não vamos nos repetir agora.

Entretanto, vamos abordar um assunto que todo mundo que pretende emagrecer deveria pensar antes mesmo de começar a dieta (ou a cirurgia bariátrica, ou o que for): os efeitos colaterais do emagrecimento, especificamente falando da flacidez.

Emagrecimento rápido pode levar à flacidez

Todo gordo sonha com o emagrecimento rápido. Posso falar por experiência própria: cada vez que saio do consultório de meu médico, após a pesagem, e constato que emagreci “apenas” 4kg em um mês, mesmo sabendo que o emagrecimento vai ficando cada vez mais difícil à medida que vamos diminuindo o excesso, fico muito decepcionado comigo mesmo. O fato de em seis meses haver emagrecido já 26kg acaba sendo esquecido, simplesmente porque eu gostaria de ter tido um resultado mais rápido do que estou tendo.

Essa gordura toda que já não está mais em meu corpo, embora eu ainda precise me livrar de mais peso, acaba fazendo alguma diferença na aparência, mas não tanta assim. Quem convive comigo mais frequentemente nem nota o resultado do tratamento, e aquelas pessoas que me viram por último quando eu estava no auge do excesso de peso (152kg, só para constar — agora estou com 126kg) percebem que uma mudança ocorreu.

Mas quem nota mesmo que houve mudança fui eu, tanto porque a balança não mente quanto porque as roupas estão folgadas. E além disso, eu percebo que onde havia mais gordura acumulada a pele está flácida, ainda não voltou para o lugar, e talvez nem volte sem cirurgia plástica corretiva.

Especificamente, percebo que coxas, nádegas e barriga estão “moles”, e fico me perguntando como vai ser quando finalmente eu estiver livre dos outros 26kg que ainda me sobram.

Exercício físico é fundamental para emagrecer sem flacidez

Para minha sorte, quem mais reclama da minha flacidez sou eu próprio. As pessoas com quem convivo e me relaciono (sou solteiro, nunca tive problemas de relacionamento, e se um dia eu decidir casar não faltarão pretendentes) acham que é exagero meu achar que estou flácido.

Já eu sei que poderia concordar com elas caso não estivesse negligenciando um fator importantíssimo em qualquer dieta: a atividade física.

carregando…

Emagrecer apenas controlando a alimentação é possível, sem dúvida alguma. Mas se a dieta for acompanhada de exercícios, os benefícios são potencializados:

  • o emagrecimento é mais rápido;
  • a atividade respiratória e circulatória melhora muito (atenção, rapazes, isso pode fazer suas namoradas muito mais felizes);
  • os níveis de colesterol e açúcar ficam mais normalizados;
  • o reforço muscular diminui a flacidez;
  • a pele volta para sua forma natural com mais rapidez e naturalidade.

Dietas radicais e cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica, de maneira grosseira, pode ser definida como uma maneira de obrigar uma pessoa a fazer uma radical dieta de restrição alimentar. A diferença é que devido à redução que sofre o estômago a sensação de saciedade vim com a ingestão de quantidades muito pequenas de alimento.

Nos casos das dietas radicais, com ou sem cirurgia de estômago, é muito comum que o emagrecimento seja rápido, e tão acentuada quanto a perda de peso seja a flacidez advinda.

Embora nem todos os planos de saúde cubram a cirurgia de estômago, muitos o fazem (mesmo que o paciente tenha que brigar para obter o benefício). Já a cirurgia plástica corretiva praticamente nenhum plano cobre, e é extremamente importante que o gordo prestes a emagrecer muito e rápido tenha consciência de que vai ficar flácido, e que provavelmente não terá o apoio de seu plano de saúde para corrigir cirurgicamente o problema.

Flacidez e autoestima

De fato, salvo casos gravíssimos em que a pele sobreposta possa causar feridas e trazer outros problemas de saúde, o maior problema da flacidez é que ela acaba com a autoestima da pessoa.

Antes a pessoa se sentia mal por ser muito gorda. Aí ela emagrece muito, e passa a se sentir mal porque acha que está parecida com um shar pei.

A virtude está no equilíbrio, razão pela qual sempre que questionados a respeito sugerimos que as pessoas procurem meios de emagrecer lenta e gradualmente, com saúde, fazendo dieta acompanhada de atividade física, sob supervisão médica, a fim de prevenir problemas que quem está preocupado com o excesso de peso normalmente nem faz ideia de que terá quando tiver emagrecido.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!