Tipos de carboidratos

Saber quais são os tipos de carboidratos ajuda a escolher os mais indicados para elaborar um cardápio saudável

23 de fevereiro de 2014 • Por Mariana, em Alimentos, Dicas e Dietas


Os carboidratos são chamados assim graças à sua estrutura química, porque são compostos de carbono, hidrogênio e oxigênio.

Essa mistura de elementos químicos ilustra a abundância desses elementos na alimentação e sua respectiva importância na dieta humana, graças ao valor energético (as calorias que ele fornece) e estrutural (mantém o bom funcionamento dos órgãos e ajuda a manutenção dos músculos).

Embora seu consumo excessivo acarrete problemas de saúde, dentre os quais destacamos a obesidade e a diabetes, os carboidratos não podem ser eliminados da alimentação, sob risco da própria vida. O consumo desse importante macronutriente precisa ser dosado e escolhido criteriosamente.


Quais são os tipos de carboidratos?

Monossacarídeos – possuem a formulação química mais simples entre os carboidratos. As pequenas cadeias de elementos químicos e a baixa taxa de carbono são suas as principais características.

A galactose (molécula do açúcar do leite, a lactose), a frutose (açúcar das frutas) e a glicose são os principais exemplos. São solúveis em água.

Dissacarídeos ou oligossacarídeos – antes conhecidas apenas como dissacarídeos, pois acreditava-se que alguns carboidratos possuíam apenas duas moléculas.

Hoje o termo oligossacarídeo é mais abrangente (em grego arcaico significa “pouco açúcar”) por incluir carboidratos com até 10 monossacarídeos.

Também são solúveis em água mas precisam da ação das enzimas digestivas para ser devidamente quebradas. Maltose, sacarose (o açúcar da cana) e lactose (o açúcar do leite) são exemplos de oligossacarídeos.

Polissacarídeos – esse tipo de carboidrato é chamado quimicamente de polímero, que é qualquer molécula de cadeia longa.

carregando…

Os polissacarídeos ramificam-se em complexas teias de carbono, hidrogênio e oxigênio, além da presença de outras moléculas como o nitrogênio e o enxofre, que armazenam energia excedente e mantém a estrutura das células. Os principais polissacarídeos são o amido e o glicogênio, que é produzido pela insulina.


Velocidade de absorção dos carboidratos

Uma das principais razões para que os nutricionistas se debrucem sobre os carboidratos e os dividam em tipos específicos é saber quais serão mais eficazes em uma dieta que forneça energia sem acúmulo desnecessário de energia.

Esse estudo dividiu os carboidratos baseado na velocidade com que ele é absorvido pelo metabolismo. Simplificando, essas são as divisões:

  • Carboidratos de absorção muito rápida: mel, melaço, açúcar;
  • Carboidratos de absorção rápida: frutas, carboidratos refinados como pão de farinha branca e arroz beneficiado;
  • Carboidratos de absorção lenta: cereais integrais, vegetais e leguminosas.

Quando o consumo de carboidratos de absorção rápida ou muito rápida é constante, cria-se um ambiente propício para a produção em excesso de insulina pelo pâncreas, que será sobrecarregado ao ver os altos níveis de açúcar no sangue.

Esses eventos podem causar hipoglicemia e diabetes, além de se criar uma espécie de dependência química por açúcar. Uma reeducação alimentar precisa dosar os carboidratos de forma adequada, por isso sempre consulte seu médico antes de cair na tentação de eliminar de vez esse nutriente.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!