Maconha para emagrecer?

A maconha, ou o seu princípio ativo, tem sido pesquisada como remédio para muitas coisas, inclusive para emagrecer. Novas descobertas reforçaram essas investigações.

A maconha tem sido alvo de polêmicas sobre sua descriminalização, mas também de pesquisas sobre seus efeitos terapêuticos. Um novo estudo sobre o princípio ativo da planta sugere que ela pode ajudar a combater a obesidade.

As recentes pesquisas renovam o mecanismo de ação de um remédio que indiretamente usava o princípio ativo da maconha para eliminar o peso excedente. o rimonabanto, conhecido pelo nome de fantasia Acomplia.

 

O princípio ativo da maconha e a fome

O corpo humano produz em seu sistema nervoso central proteínas chamadas canabinoides, que formam o sistema endocanabinoide. Esse sistema age como mecanismo de defesa, ajudando o corpo a reconhecer sinais de dor, a movimentar músculos para defesa e fuga e a acumular gordura para períodos de escassez.

O metabolismo humano, complexo como poucos, precisa do equilíbrio dos hormônios para que o sistema endocanabinoide e a grelina, o hormônio da fome, mantenham a saciedade sob controle. Quando eles estão em consonância, a sensação de saciedade é alcançada mais rapidamente.

O problema

Infelizmente, a alimentação moderna, baseada em excesso de gorduras, açúcares e sal em conjunto com o desequilíbrio do balanço energético (consome-se mais calorias do que se gasta) fez com que a sintonia fina entre o sistema endocanabinoide e a grelina desaparecesse, causando a atual epidemia de obesidade.

Quando o rimonabanto foi enfim descoberto e colocado à venda, em 2006, ele foi saudado como o mais eficiente tratamento contra o excesso de peso, já que ele conseguia bloquear os canabinoides no sistema nervoso, causando um nível de redução de apetite jamais atingido por nenhum outro fármaco.

Contudo, os efeitos colaterais eram muito graves. Muitos pacientes reportavam sérios distúrbios psiquiátricos, como depressão severa, após o consumo contínuo do ribonamanto. Em 2008, o Acomplia foi retirado do mercado.

O novo uso da maconha para emagrecer

O problema foi logo diagnosticado: como o Acomplia agia diretamente sobre o sistema nervoso central, bloqueando neurotransmissores, as complicações mentais eram, de certa forma, esperadas. Contudo, o uso de canabinoides era claramente eficiente no combate à obesidade e por isso, o foco mudou.

Pesquisas recentes procuram desenvolver um remédio que aja apenas no estômago e na complexa interação entre o consumo de alimentos e a saciedade provocada por eles. A nova tendência é priorizar o estômago como principal foco de ajustes no controle do peso, principalmente na comunicação entre ele o cérebro.

Embora em estágios iniciais, as novas pesquisas sobre o uso da maconha e seu princípio ativo para emagrecer estão avançadas, graças ao rimonabanto e às extensas investigações de cientistas especialistas em canabinoides principalmente na Espanha e na Itália.

Considerações finais

Dito isso cabem alguns alertas. O texto aqui escrito foi simplificado para fins de entendimento. Não é intenção desse blog ser uma revista científica ou referência bibliográfica.

O Acomplia foi retirado do mercado por causar problemas psiquiátricos severos. Não tente comprar ou consumir esse medicamento (sabemos que existem meios para que isso aconteça), pois os riscos são enormes.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.4
Total de Votos: 10

Maconha para emagrecer?

Comente