Manteiga: mitos e verdades

Esqueça o que já disseram sobre o perigo da manteiga em uma dieta saudável.

A manteiga e outras gorduras de origem animal foram demonizadas desde os anos 1950 graças à pesquisas que não foram questionadas durante décadas. Por isso, dietas para emagrecer pregaram durante todo esse tempo a quase exclusão da manteiga do cardápio.

Contudo, o tempo e novos estudos menos enviesados deram uma nova luz ao papel das gorduras animais. E muitos mitos foram destroçados.

O que diziam sobre a manteiga (e outras fontes de gordura animal)

A associação entre o consumo de manteiga, gorduras animais e doenças coronárias (derrames e ataques cardíacos) era dada como certa graças a pesquisas sobre gorduras saturadas em geral feitas sem os rigorosos critérios analíticos exigidos hoje em dia.

Hoje sabe-se que o consumo de manteiga não altera significativamente os riscos de doenças cardiovasculares; apenas se associadas a diversos fatores, como o sedentarismo, o consumo de tabaco e fatores genéticos, entre outros.

Mas quais gorduras são realmente prejudiciais à saúde?

A real vilã de qualquer dieta é uma só: a gordura trans. Criada tendo como base óleos vegetais pela indústria alimentícia, sua função primordial é a de proporcionar maior tempo de conservação para alguns alimentos.

Margarinas, salgadinhos, biscoitos e demais produtos processados são as principais fontes de gordura trans.

Contudo, essa capacidade de manter o alimento perfeito para consumo e manter um nível de textura e sabor palatáveis ao gosto médio esconde diversos perigos á saúde.

O consumo de gorduras trans está associado ao aumento dos níveis de colesterol ruim e consequente redução nos níveis de colesterol bom. Ou seja, ao contrário da manteiga, a gordura trans não só aumenta o risco de taxas de colesterol ruim como elimina o colesterol bom, que faz com que nossas artérias e veias não se entupam.

Consumir gorduras trans, em suma, é o grande perigo para a saúde do coração. E não há níveis seguros para seu consumo.

Considerações finais

A manteiga e demais fontes de gordura animal foram cientificamente absolvidas de seus “crimes dietéticos”, mas isso não significa que o consumo está liberado e livre de problemas.

O consumo de gorduras é essencial ao metabolismo porque alguns nutrientes só são dissolvidos e ingeridos pelo corpo com a ajuda de ácidos graxos. A vitamina K é um bom exemplo.

O que deve ser evitado é o consumo excessivo aliado a fatores de risco, como o sedentarismo e o tabagismo. Já as gorduras trans podem ser simplesmente eliminadas do cardápio porque o risco que elas causam à saúde não vale o valor energético fornecido.

Avalie este conteúdo!
Avaliação média: 4.44
Total de Votos: 9
Manteiga: mitos e verdades

Comente