O que é dieta?

O uso incorreto de algumas palavras deturpam o significado essencial delas. Foi o que aconteceu com a palavra “dieta”. É preciso saber o que ela representa como um todo, e não apenas na quantidade de comida que se coloca na mesa e no prato.

01 de outubro de 2013 • Por Mariana, em Comportamento


Você já parou para se perguntar o que é dieta? O significado desta palavra deixou de ser importante porque o valor dado a ela, psicológica e financeiramente, tem mais peso na concepção subconsciente.

O grande problema da interpretação dada à dieta é o peso restritivo que ela ganhou graças a décadas de batalha contra a obesidade. Uma das maneiras de vermos a dieta como aliada e não inimiga é voltando ao núcleo primitivo do seu significado. Talvez assim a dieta deixe de ser o monstro verde com um tomatinho cereja em um prato.


O que é dieta

A palavra “dieta” tem origem grega; deriva-se para palavra diaitia, que significa “modo de viver”. A aplicação da palavra como a conhecemos data do século XV, e uma das definições mais abrangentes é “cota habitual de alimentos sólidos e líquidos que uma pessoa ingere” (obrigada, dicionário Houaiss!). Por isso, o que você, prezada leitora, consome nos cafés da manhã, almoços e jantares é sua dieta.

O grande problema reside no quanto se come e qual o gasto calórico ligado a esse consumo. Décadas de evolução nas relações familiares, trabalhistas e cotidianas fizeram que o ser humano continuasse consumindo a mesma quantidade de calorias e fazendo cada vez menos esforço.

Adivinhe qual o resultado? Mais pessoas propensas à obesidade. Por isso a dieta hoje é vista apenas segundo a seguinte definição: “abstenção, para fins terapêuticos, de certos alimentos”. E essa definição assombra todos que precisam seguir uma… dieta!

carregando…


Que dieta seguir, então?

  • Um dos consensos entre os nutricionistas é a quantidade de calorias que um adulto saudável deve ingerir por dia sem prejuízos à saúde e à fome: cerca de 1300 kcal. Mas não basta apenas consumir as 1300 calorias; é preciso gastá-las apropriadamente.
  • A chave do sucesso de uma dieta é o equilíbrio entre o consumo saudável e e o uso desta energia durante as atividades cotidianas.
  • Se o problema for o excesso de alimento, principalmente os que causam diretamente a obesidade, é preciso prescrever uma dieta restritiva e aliá-la a uma atividade física moderada porém regular.
  • Mas se as causa principal da obesidade é o sedentarismo, aumenta-se a carga de atividade física e alia-se a isso uma dieta que preencha as necessidades nutricionais sem que haja brechas para o acúmulo de gordura.

E é claro que nunca é demais lembrar: dietas e exercícios físicos só serão efetivos com prescrição e acompanhamento de um médico.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!