O sal na dieta

Vilão ou incompreendido? O sal possui um papel em nossa alimentação e é preciso conhecê-lo para saber como lidar com ele

17 de junho de 2015 • Por Mariana, em Alimentos, Destaques


O sal é considerado pelo senso comum apenas como vilão de qualquer dieta. Afinal, não há quem não conheça, mesmo que superficialmente, a ligação entre seu consumo e a hipertensão.

Mas será que é tão simples assim? O sal não possui nenhuma utilidade em nosso cardápio além de saborizar os alimentos?


Conhecendo o sódio

O sal de cozinha é composto principalmente de um mineral chamado sódio. O sódio está presente em diversos alimentos e tem funções nobres em nosso metabolismo.

sal

O equilíbrio entre ácidos e bases na corrente sanguínea só é possível quando existem, nas doses certas, sódio e potássio, minerais de extrema importância para o chamado metabolismo hídrico.

Esse balanço entre os minerais permite a correta circulação do sangue nas veias e artérias, permitindo o transporte de substâncias e nutrientes e mantendo o volume sanguíneo em níveis aceitáveis dentro do sistema circulatório.

O sódio tem uma função primordial na absorção de glicose (o famoso “açúcar do sangue”) e no estímulo de músculos e nervos, principalmente os do coração.


Então, qual o problema com o sal?

O que transforma o sódio em empecilho a uma vida saudável é o excesso de consumo. Como disse sabiamente Paracelso, “a diferença entre remédio e veneno está na dose”.

Quando há muito sal no sangue, a harmonia com o potássio deixa de existir e com isso o volume do sangue nos vasos sanguíneos aumenta, causando retenção de líquidos e pressão alta.

A hipertensão é o principal vetor de doenças cardíacas, como infartos e anginas. Como em um efeito dominó, doenças como o AVC (acidente vascular cerebral, o popular derrame) também se potencializam.

Além de problemas de saúde diretamente ligados à circulação sanguínea, a hipertensão também afeta os rins, podendo causar insuficiência renal crônica, e os olhos, principalmente o nervo óptico.

carregando…


O combate mundial ao excesso de consumo de sal

Dados do Ministério de Saúde informam que o brasileiro consome em média 12 gramas de sal por dia, quando o recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é 5 gramas.

sais

No mundo, existem programas governamentais que querem combater esse excesso de consumo de sal não só através de conscientização da população, mas da regulação dos níveis de sódio em alimentos processados.

No Brasil, existe uma meta para se retirar dos produtos industrializados cerca de 29 toneladas de sódio até 2020. Os principais alimentos que deverão ter suas taxas de sal reduzidas são:

Pães, bolos, massas instantâneas (macarrões do tipo lámen), salgadinhos de pacote e batatas fritas, temperos, sopas, embutidos em geral, maioneses e produtos diet e light (conhecidos por substituir o açúcar por sódio e gorduras para manter níveis de sabor aceitáveis).


O que fazer para reduzir o consumo de sal no dia a dia?

Existem atitudes relativamente simples para diminuir a ingestão de sal nas refeições sem que sejam necessários malabarismos. Acompanhe.

-Retire o saleiro da mesa. Simples e eficaz.
– Coma mais frutas e verduras, fontes de minerais e vitaminas que auxiliam no equilíbrio hídrico, entre outros benefícios.
– Reduza o uso de gorduras no preparo e tempero dos alimentos.
– Opte por alimentos integrais, cujos benefícios são conhecidos por todos.
– Diminua o consumo de refrigerantes e sucos adoçados, além de doces em geral.
– Coma alimentos que são naturalmente ricos em potássio, mineral que neutraliza os efeitos deletérios do sódio. Feijão, banana, espinafre, cenoura, laranja e tomate são exemplos baratos e fáceis de se encontrar.

Se houver quaisquer dúvidas, não hesite: procure seu médico.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!