Os benefícios dos alimentos roxos

Existem alimentos que se destacam pela cor e pelos benefícios que a tonalidade traz, como os alimentos roxos. Incluí-los na dieta é um excelente negócio; descubra o porquê.

25 de julho de 2015 • Por Mariana, em Alimentos


As dietas são unânimes em incluir verduras, frutas e legumes no cardápio. Afinal, além das geralmente baixíssimas calorias desses alimentos, os nutrientes também são estrelados graças às suas propriedades benéficas.

Contudo, a resistência de algumas pessoas ao consumo de produtos naturais costuma ser grande, juntamente com as desculpas oferecidas. Pois uma categoria de frutas e verduras oferecem diversos benefícios à saúde, inclusive ajudando a emagrecer: os alimentos roxos. Consegui sua atenção?

 


Substâncias dos alimentos roxos

A cor característica de algumas frutas, legumes e verduras vem de uma tinta natural chamada antocianina, um flavonoide cujas propriedades antioxidantes são conhecidas há décadas.

alimentos-roxos

O responsável pela tonalidade arroxeada desses alimentos é o sol, que potencializa a antocianina e faz com que cascas, polpas e folhas fiquem roxas.

Mas a cor intensa não serve apenas para chamar a atenção do olhar. Veja as substâncias dos alimentos roxos e seus benefícios.

Antioxidantes – A antocianina é um poderoso flavonoide antioxidante que ajuda a eliminar os focos de radicais livres, moléculas criadas pelo oxigênio que “enferrujam” outras moléculas, causando envelhecimento precoce. O composto roxo ajuda a eliminar os radicais livres e, por tabela, focos cancerígenos.

Enzimas anti-inflamatórias – Auxiliam o trânsito cardiovascular, impedindo os ferimentos e entupimentos das artérias. Essas enzimas impedem a oxidação do colesterol ruim, que provoca a obstrução dos vasos sanguíneos.

Como se já não bastassem esse benefícios, estudos em uma universidade no Japão conseguiram mostrar uma insuspeita ação contra a obesidade das antocianinas.

carregando…

O composto roxo ajuda a controlar a ação das células de gordura, os adipócitos, mantendo-as sob controle e impedindo que elas façam surgir a resistência à insulina, causadora do diabetes tipo 2.

Ah, a antocianina pode ajudar a combater o mal de Alzheimer, evitando a proliferação tanto dos radicais livres quanto da proteína que ajuda a causar a doença degenerativa.


Principais alimentos roxos

As frutas, verduras e legumes roxos devem ser consumidos in natura e com casca, de preferência, para que as propriedades benéficas da antocianina sejam melhor aproveitadas. Caso isso não seja possível, o preparo deve evitar imersão em óleo e excesso de cozimento. Os mais conhecidos alimentos roxos são:

  • Maçã;
  • Amora;
  • Uva;
  • Jabuticaba;
  • Cebola roxa;
  • Repolho roxo;
  • Berinjela;
  • Batata doce;
  • Amendoim;
  • Feijão-preto
  • Açaí.

Não há consenso quanto à quantidade de alimentos roxos que pode ser consumida diariamente, e não é por falta de pesquisas, mas ironicamente por conta dos inúmeros estudos feitos.

A absorção da antocianina não é uniforme em nosso organismo. Dependendo do alimento, do seu tempo de maturação e de onde a substância é digerida, os alimentos roxos produzem benefícios diversos.

Na dúvida, consuma uma porção de 200 gramas por refeição. Adultos podem consumir uma taça de vinho tinto durante as principais refeições, já que a bebida é reconhecidamente rica em antocianina. Beba com moderação.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!