Quantidade de calorias ingeridas para perder peso.

Como controlar as calorias que comemos diariamente? Não há receita fácil, mas há métodos que podem ser seguidos de forma segura.

30 de maio de 2017 • Por Mariana, em Alimentos, Dicas e Dietas


Não há quem fique contrariado quando o nutricionista diz algo como “é fácil emagrecer; basta controlar a quantidade de calorias ingeridas para perder peso”.

A primeira reação é rejeitar a ideia, dizendo que é  “impossível” controlar as calorias com a correria da vida moderna. Contudo, basta seguir a linha de raciocínio que deu origem ao vaticínio médico e tudo fará sentido.

 


A alimentação e a obesidade

O corpo precisa de energia para manter-se vivo e a obtém através da alimentação. Cada pessoa tem um biotipo e necessidades calóricas específicas de acordo com suas atividades rotineiras.

Quando consome-se mais calorias além do necessário para sobreviver, o excesso não é expelido; ele é armazenado em forma de gordura principalmente sob a pele, podendo encontrar morada em órgãos vitais como o fígado. Com o passar do tempo, a pessoa torna-se obesa.

(Lembrando novamente: esse texto é uma simplificação para fins de entendimento)


A adaptação à obesidade

Um dos grandes problemas da obesidade é a rápida adaptação do organismo a essa condição. Os mecanismos que secretam hormônios do prazer rapidamente ligam-se ao ato de comer, o que pode gerar compulsões alimentares em quem é propenso a essa patologia.

Por isso uma das primeiras providências de nutricionistas à guisa de anamnese é observar os hábitos alimentares da pessoa para determinar a quantidade de calorias ingeridas para perder peso.

##Um exemplo prático

carregando…

Usaremos aqui como exemplo uma pessoa que tenha 1,70 metro e 100 quilos.

O IMC (índice de massa corpórea) dessa pessoa é de 35, na linha da obesidade grau 1. Normalmente, uma pessoa com essa compleição física e nível de atividade física deveria consumir cerca de 2000 calorias para se manter.

Porém, como o nível de obesidade atingiu índices expressivos (só para exemplificar: de acordo com o site do doutor Drauzio Varella, o risco de adquirir diabetes aumenta 25 por cento e o de pressão alta, cerca de 20 por cento de acréscimo, além dos problemas cardiovasculares e de locomoção), é preciso que se planeje uma dieta baseada nesses dados.

Geralmente, receita-se uma redução de pelo menos 30 por cento na quantidade de calorias consumidas diariamente e a inclusão de uma atividade física leve como a caminhada para que o sedentarismo também seja debelado.


Considerações finais

No exemplo acima descrito, a quantidade de calorias diárias deve se restringir a 1400, incluindo alimentos que aumentem a saciedade e termogênicos.

Não é fácil readaptar o organismo que se acostumou a acumular energia a manter-se apenas com o necessário, e por isso o controle da quantidade de calorias ingerias é um dos principais pilares nutricionais para a perda de peso de forma contínua e saudável. Nunca diminua porções ou entre em dietas sem acompanhamento médico.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!