Sobrepeso e Hirsutismo

O hirsutismo, o crescimento anormal de pelos em mulheres, tem uma ligação bastante preocupante com o sobrepeso. Descubra quais são e como evitá-las.

29 de novembro de 2016 • Por Mariana, em Comportamento, Destaques


O hirsutismo é o crescimento anormal de pelos em mulheres em partes do corpo onde normalmente eles não se desenvolveriam, como acima do lábio superior, no queixo, em volta dos mamilos, no tórax e no abdome, entre outros lugares.

Algumas leitoras perceberam uma relação incômoda entre sobrepeso e hirsutismo e gostariam de saber se essa ligação procede em termos clínicos.

Análise primária do hirsutismo

Antes de começarmos, um aviso. O texto a seguir é uma simplificação de termos médicos e científicos para fins de entendimento. Não é nossa intenção formularmos um diagnóstico para o hirsutismo, apenas informar sobre o problema. Somente um médico poderá fazer uma avaliação do caso.

O crescimento de pelos geralmente é causado por fatores hormonais, em sua imensa maioria, e reações indesejáveis à medicamentos e tratamentos. Entre os principais fatores para o desenvolvimento do hirsutismo estão:

  • A Síndrome do Ovário Policístico;
  • Hiperplasia, a multiplicação das células de tecidos (pele), geralmente benigna (ou seja, não é câncer);
  • Doenças da tireoide.

Muitos desses sintomas acontecem com mulheres com sobrepeso ou obesas, por isso existe historicamente uma ligação entre excesso de peso das mulheres e o hirsutismo.

Como detectar o hirsutismo

O médico irá fazer uma análise do quadro clínico da paciente, incluindo exames de sangue para detecção de hormônios e presença ou não de diabetes e de colesterol e triglicerídeos em excesso.

Os exames de sangue são velhos conhecidos de quem se consulta com o ginecologista frequentemente: hormônios sexuais (FSH, LH, prolactina) e exames de níveis de açúcar e gordura, entre outros. Quem determinará a necessidade desses exames é o médico.

Além disso, uma análise ginecológica se faz necessária, já que os hormônios sexuais têm participação efetiva nos casos de hirsutismo. Exames de sangue e clínicos, que podem detectar, por exemplo, o crescimento anormal do clitóris, devem ser feitos com presteza.

Como existe uma relação íntima entre essas doenças e o sobrepeso/obesidade, além do tratamento clínico contra o hirsutismo, determinado caso a caso, serão necessários um complemento dietético e inclusão de atividades físicas, ambos monitorados.

Considerações finais

Embora o hirsutismo seja um problema causado por diversos fatores hormonais, clínicos e medicamentosos, o sobrepeso e a obesidade são os principais vetores de proliferação do problema, principalmente entre mulheres acima dos 30 anos.

Manter uma dieta saudável e equilibrada, incluir exercícios na rotina diária e sempre consultar seu médico e ginecologista devem fazer parte de sua rotina. Prevenir é sempre a melhor saída.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.36
Total de Votos: 11

Sobrepeso e Hirsutismo

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

O que você pensa disso? Vamos construir um debate!