Suplementos vitamínicos na dieta

Em dietas específicas, o uso de suplementos vitamínicos é recomendado. Contudo, a facilidade para encontrar as suplementações escondem alguns cuidados que precisam ser levados em conta.

04 de fevereiro de 2014 • Por Mariana, em Alimentos, Destaques


Há quem busque a solução para uma alimentação saudável, literalmente, em pílulas, e isso faz com que o mercado de suplementos vitamínicos seja um dos que mais se aqueça mundialmente. Infelizmente, muitas pessoas tomam esses comprimidos de maneira equivocada, fazendo com que vitaminas e minerais importantes ao metabolismo percam suas reais funções graças a um misto de consumo desenfreado e combinações alimentícias que anulam ou subvertem a ação desses nutrientes. Antes de pensar em incluir  suplementos vitamínicos na dieta, é preciso uma correta avaliação nutricional, além de um pouco de conhecimento sobre o que se ingere nessas fórmulas.

4864

Suplementos vitamínicos são remédios?

De acordo com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não. As cápsulas de vitaminas são registrados como alimentos por serem extraídos de produtos alimentares e são considerados como complementos às refeições de pessoas que gozam de boa saúde. Como são vendidos sem a necessidade de receituário médico, uma coisa precisa ficar bem clara nas embalagens dos suplementos: eles não substituem em hipótese alguma qualquer refeição.

Quais a indicações para o consumo de suplementos vitamínicos?

Basicamente, repor vitaminas e minerais não fornecidas adequadamente pelas refeições habituais. Desde meados do século XX, governos de diversos países exigem que produtos industrializados que perdem seus principais nutrientes durante o refino, como farinhas e cereais, recebam uma suplementação vitamínica que varia de país para país.

De olho no promissor mercado da complementação vitamínica, a indústria farmacêutica esmerou-se em fornecer cápsulas contendo vitaminas e sais minerais e isso tem rendido a ela cerca de 80 bilhões de dólares anuais em média. Essas vitaminas também são ingeridas por quem precisa manter o metabolismo em equilíbrio, fornecendo aporte nutricional aos cada vez mais desregrados almoços e jantares da era moderna.

Quais as principais vitaminas e minerais encontradas nos suplementos?

  • Vitamina B12 (cobalamina) – fortalece a hemoglobina (células vermelhas do sangue) e auxilia no metabolismo da gordura.
  • Zinco – essencial para a manutenção do sistema imunológico.
  • Vitamina A (retinol) – mantém íntegros pele, rins, sistema digestivo, pulmões e olhos.
  • Vitamina C (ácido ascórbico) – fortalece a imunização e ajuda na formação e manutenção dos ossos, dentes e sistema circulatório.
  • Selênio – mantém o sistema hormonal, principalmente a tireoide, em perfeitas condições e auxilia na prevenção de diversos tipos de câncer.
  • Vitamina E (Tocoferol) – um dos mais poderosos antioxidantes, também é essencial para a manutenção da coagulação sanguínea em níveis normais.
  • Silício – auxiliar na calcificação óssea e na formação das cartilagens.
  • Licopeno – antioxidante que reduz a incidência de células cancerosas.
  • Ferro – amplamente reconhecido como antianêmico.
  • Ácidos graxos obtidos de peixes, grãos e frutos – os mais conhecidos são as cápsulas com óleo de peixe, óleo de coco e óleo de linhaça, que auxiliam no combate ao colesterol ruim e evitam a degeneração do sistema nervoso.
  • Vitamina K – evita quadros hemorrágicos causados pela deficiência de coagulação.

Há contraindicações ao consumo de suplementos vitamínicos?

A princípio, vitaminas e minerais não causam nenhum efeito colateral se forem consumidos dentro das especificações metabólicas de cada indivíduo. Os principais perigos são o excesso e a falta desses nutrientes.

carregando…

De modo geral, a alimentação equilibrada fornece os nutrientes necessários à manutenção do organismo sem que haja necessidade de suplementação. Contudo, pessoas que estão sob dietas específicas, ou que passaram muito tempo consumindo apenas um tipo de nutriente, podem sofrer avitaminoses que só podem ser supridas com cápsulas de vitaminas devidamente prescritas por nutricionistas.

O excesso de vitaminas pode, na melhor das hipóteses, fazer com que os nutrientes excedentes sejam eliminados pela urina, sendo desperdiçados pelo metabolismo, o que pode configurar prejuízo financeiro se a fonte dessas vitaminas forem os caros suplementos vitamínicos em cápsulas. Contudo, a interação entre algumas vitaminas e minerais pode causar efeitos adversos variados, como dores de cabeça, problemas renais (os rins são muito usados para a depuração do sangue em caso de excesso de vitaminas e minerais), hepáticos, coronários e circulatórios.

Vitaminas e sais minerais não são milagrosas, mesmo que elas venham acondicionadas em pílulas. Elas têm seu lugar assegurado em uma dieta saudável, desde que na quantidade correta.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!