Tesofensina – remédio para demência pode emagrecer

Existe uma promessa entre os fármacos destinados para emagrecer cujos efeitos são animadores a princípio: é a tesofensina.

29 de janeiro de 2014 • Por Mariana, em Medicamentos


Não raro, a indústria farmacêutica descobre atributos insuspeitos em fármacos previamente pensados para combater outros males. O mais famoso caso é o do Viagra (nome registrado pelo laboratório Pfizer), que de  auxiliar para problemas de circulação sanguínea tornou-se o que é hoje.

O caso de uma substância chamada tesofensina parece estar trilhando o mesmo caminho.  O remédio, que originalmente foi pensado para combater as mas temidas doenças degenerativas – os males de Parkinson e Alzheimer -, também ajudou os pacientes a perder peso.

O que é a tesofensina e quais seus efeitos

medicine-for-weight-loss

A tesofensina pertence ao grupo de fármacos inibidores de recaptação de serotonina, noradrenalina e dopamina, os chamados neurotransmissores.

Contudo, a eficiência no combate às demências inicialmente aventadas foi muito baixa. O que se observou nos pacientes submetidos aos testes com a tesofensina foi uma surpreendente eliminação de peso excedente.

Pesquisas feitas na Universidade de Copenhague (Dinamarca) e posteriormente divulgadas nas principais revistas médicas do mundo relataram que essa perda de peso não intencional chegou a pelo menos 4 por cento do peso corporal de pacientes obesos.

Metodologia da pesquisa sobre a tesofensina para emagrecer

Quando o efeito emagrecedor da tesofensina foi acidentalmente descoberto, o foco da pesquisa foi alterado para testar os reais efeitos de redução de peso do remédio.

Dois grupos de obesos, com cem voluntários cada, receberam a recomendação de uma dieta moderada aliada a uma pílula; cem receberam a tesofensina e cem, uma pílula de placebo (substância sem valor farmacológico, tipo pílula de farinha).

Os cem que receberam o remédio foram divididos em três subgrupos: um grupo recebeu 0,25 mg, outro recebeu 0,5 mg e o terceiro, 1 mg.

carregando…

Os resultados e os efeitos colaterais

Após seis meses, os pacientes que tomara a dose mais baixa perderam 6,7 quilos em média; os que receberam a dose média, 11,3 quilos, e os que tomaram a maior dose perderam 12,8 quilos.

Os efeitos colaterais, logicamente, foram mais intensos no grupo que tomou a maior dose de tesofensina, e entre esses efeitos estão os já conhecidos entre os usuários de remédios para emagrecer mais usados como a sibutramina e o fenproporex.

  • Boca seca;
  • Náusea;
  • Insônia;
  • Diarreia;
  • Irritabilidade.

O que causou preocupação foi o aumento da pressão arterial observado nos pacientes submetidos às doses maiores.

Considerações finais

De forma incipiente, algumas suposições sobre o mecanismo de ação da tesofensina foram formuladas:

  • A capacidade de inibição da recaptação dos principais neurotransmissores – noradrenalina, serotonina e dopamina – cria uma sensação de saciedade maior do que os fármacos já usados para esse fim.
  • A negativação energética causada pela supressão de ação dos neurotransmissores possivelmente causa também um aumento no chamado gasto energético secundário, que acontece a nível celular, graças a um aumento da termogênese.

As pesquisas estão sendo feitas de forma exaustiva e por isso a tesofensina é apenas uma promessa para daqui a pelo menos cinco anos, pois ainda serão feitas pesquisas mais amplas sobre seus efeitos desejados e principalmente os indesejados.

Por isso cabe aqui um alerta: não acredite em picaretas que dizem já estar vendendo a tesofensina. Infelizmente, existem sites que afirmam comercializar esse princípio ativo sem que ele tenha sequer tenha sido lançado comercialmente.

Compartilhe

 

Este site site não é farmácia ou consultório médico. Não brinque com sua saúde. Não se automedique. Consulte seu médico, e não confie no que ler na Internet, nem mesmo neste site.

Deixe seu comentário!